Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

CÂMARA DE VALONGO CONTRATA 'BARRIGA DE ALUGUER'...

O pasquim CORREIO DO DOURO voltou a dar um ar da sua (des)graça - n.º 41 de 31 de Julho de 2013.

 

Neste número, o que chama a atenção não são tanto as páginas interiores iguais ao standard a que já nos habituamos há muito. 

O destaque do 'vómito' expelido, vai desta vez inteirinho para a contracapa assinada pelo promíscuo director, Óscar Queirós, uma personagem verdadeiramente surreal que vai gerindo a sua existência entre a mesa do boteco onde se vai deixando inseminar pela loira da Super Bock - ou da Sagres quiçá - e os ladrilhos da sala da manjedoura do municipal orçamento, onde ziguezagueia por entre as pernas dos comensais, lambendo as migalhas que vão caindo e um ou outro pedacito mais avantajado, que em alturas eleitorais de maior abundância, os comensais ficam sempre menos cuidadosos no agarrar do naco.

 

Durante muito tempo, pagou a condescendência de o deixarem andar por ali, com a tarefa menos nobre porém vital para ele, de lamber as botas a Fernando Melo. Só que este se cansou do desconforto e do peso deste tipo de calçado - um dinossauro calça quilómetros de botas - e porque botas já não havia para lamber, teve Queirós de improvisar:

 

Ofereceu-se então ao herdeiro de Melo como barriga de aluguer e este ainda em idade fértil e portanto em condições de lhe garantir a pensão de alimentos às crias que for eclodindo será, neste curto presente e futuro mais que incerto, a sua principal mas não garantida fonte de subsistência.

 

Mas o grau de depravação moral deste espécime é tamanho, que as múltiplas variações de uma vulgar 'ménage à trois' já não o realizavam. Evoluiu pois - no mau sentido, obviamente - para a previsível 'ménage à quatre' e após um curto período de gestação eclodiu a contracapa do número 41 de 31 de Julho.

 

Nos próximos actos de criação veremos seguramente - como já vimos no número referido - unidos pelo acto de procriar e parir coisas abjectas, os quatro consortes: a barriga-táxi do pasquim, a Zezinha que é professora de jornalismo, política desempregada e futura ex vereadora, Pedro o pequeno, um homem que cabritos vende mas cabras não se lhe conhecem, auditor do tribunal eclesiástico do Porto e também ele futuro ex vereador menor e por último, mas não necessariamente por esta ordem, o herdeiro de Melo, especialista em circuitos da bifana e palmadas nas costas, especialista ainda na arte de torrar dinheiro sem queimar as mãos e seguramente num futuro muito próximo, também futuro ex presidente da Câmara de Valongo.

 

Óscar Queirós é ao que sei, o director do jornal, mas não o dono. Com a sua postura ele só está a ajudar a cavar (ainda mais) a cova onde serão depositados os 'restos mortais' do pasquim que não é dele - se entretanto o verdadeiro dono não o mandar açaimar. 

 

Em 2009 queixamo-nos à CNE (Comissão Nacional de Eleições) e esta deu-nos razão. Voltaremos a fazê-lo em 2013 caso o 'bobo da corte' e da sala da manjedoura continue neste registo.

Não porque o seu rastejar cause incómodo de maior, mas apenas por uma questão de saúde pública - embora a poluição que o CORREIO DO DOURO representa não seja o elemento mais preocupante, mas sim o abuso de nos fazerem pagar a produção do resíduo e ainda a despesa com a sua recolha!

publicado às 10:17

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D