Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

EX-SEC-SOCIEDADE DE EMPREITADAS E CONSTRUÇÕES - O DESAGRAVO...

Já há algum tempo que não escrevo sobre a SEC, melhor dizendo, sobre a ex-SEC.

Claro que não sendo a única razão, o facto de estar constituído arguido numa queixa interposta pelo GRANDE MECENAS SOCIAL senhor Almerindo Carneiro, me impõe evidentemente algum dever de contenção. Mas hoje vou abrir uma excepção, até porque o que vou escrever é para dizer bem e para admitir que em algum momento, nos muitos artigos que aqui publiquei sobre esta eminente empresa, devo ter sido eventualmente injusto, de outra forma o dito senhor não teria apresentado a tal queixa.

 

 

Item 1:

 

Pessoas mal intencionadas fizeram-me chegar há dias uma informação sobre alegada dissimulação de património para fugir à apreensão do mesmo decretada pelo Tribunal no processo de insolvência em curso.

 

Juntaram uma relação de prédios urbanos e alguns rústicos, afirmando que isso pertenceria - deveria pertencer - à massa falida...

 

Depois de uma rápida e expedita investigação, concluí que é uma absoluta falsidade, como se pode ver pelos recortes abaixo, onde o titular, aliás, a titular porque é uma senhora, não tem, que eu saiba, nada a ver com a SEC!

 

Os recortes que comprovam a falsidade da referida acusação:

 

 

Fica aqui portanto o desagravo à SEC, aliás ex-SEC, 'por algumas coisas menos agradáveis que eu eventualmente tenha escrito e que não sei muito bem quais teriam sido', através desta vasta relação patrimonial de uma senhora para mim completamente desconhecida e que pela parte que me toca, continuará a contar com toda a reserva da sua privacidade.

Sem pretender retirar disso qualquer ilação, constato apenas que por acaso é possuidora de um interessante património, mas que ninguém tem nada com isso!

A única coincidência, essa sim desagradável, é que o terá registado a seu favor por alturas de 2012, isto é, precisamente quando a SEC começava a entrar na turbulência que a havia de conduzir ao processo de insolvência em curso. Mas coincidências são isso mesmo, coincidências e quem é que as pode controlar?

 

Item 2:

 

Os mesmos informadores anónimos - e maldosos, devo acrescentar -  já referidos, acusavam, a propósito da apreensão de património e da relação do mesmo que irá a leilão, que as viaturas de uso pessoal da SEC teriam 'desaparecido'.

 

Fui igualmente para o terreno investigar e uma vez mais confirmei a completa e injusta falsidade desta acusação:

 

O ex-gerente da SEC, ao contrário do que eventualmente faria qualquer outro empresário em circunstâncias análogas, em vez de 'arrumar' para um canto - para o canto da massa falida - os BMW, os Audi, os Mercedes, etc., onde estariam neste momento a degradar-se como o resto das máquinas que sobraram para leilão, mandou distribuí-las pelos ex-funcionários!

 

É Verdade! Neste momento andam a ser conduzidas pelos ex-colaboradores e eu posso confirmar pelo menos alguns casos!

É claro que não fui exaustivo na investigação, ao ponto de poder afirmar que todos tiveram o seu BMW, Audi ou equivalente, mas imagino que sim

 

Como se pode constatar, nem sempre o que nos 'vendem' como verdade o é de facto e neste caso da SEC, melhor dizendo, da ex-SEC não é mesmo!


Em jeito de conclusão e apenas para satisfazer uma pequenina e inocente curiosidade, alguém me sabe dizer quem será a distinta senhora que é proprietária do interessante património acima referido? Se ninguém souber, também não é assim tão importante, deixem lá...

publicado às 21:04

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D