Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

IOHANNIS DIXIT...

D.João Miranda, Administrador Apostólico da Diocese do Porto, falou na sua homilia do dia de Natal, sobre o abôrto .

Pois... e melhor seria que o não tivesse feito - que um Bispo, mesmo que no papel de simples Administrador Apostólico, tem por vezes de se auto-impor alguma contenção verbal.

D.João Miranda, talvez num impeto momentâneo, talvez ainda - o mais provável - na tentativa de consolidar um lugar que ocupa apenas interinamente, pensou mais na hipotética vantagem que o impacto mediático das suas palavras lhe poderia trazer, do que no interesse mais geral dos católicos da sua Diocese - muitos dos quais, como eu, não se revêm minimamente nas suas referências aos "expostos" ou aos "meninos da roda".

Talvez valha a pena lembrar ao Senhor Bispo, uma regra elementar que ele seguramente conhece, mas de que se esqueceu na sua homilia de Natal:  falar em público, sobretudo para uma plateia que é multiplicada pelos microfones e câmaras de televisão presentes numa celebração solene como a do Natal, não é a mesma coisa que dissertar numa roda de amigos ou de  paroquianos conhecidos.

Depois, Senhor Bispo, o que está em causa no próximo referendo, não é aquilo que alguns em que se inclui uma certa Igreja retrógrada de que lamentavelmente parece fazer parte, querem fazer crer aos menos atentos: a liberalização do aborto!

O que vai ser referendado, é a despenalização da interrupção voluntária da gravidez !

Convenhamos, que até um Bispo menos atento, deveria saber encontrar a diferença entre uma e outra terminologia - porque no fundo , é a diferença entre a mistificação (no caso da primeira) e a verdade (contida na segunda).

Depois, Senhor Bispo, comparar uma situação de interrupção da gravidez - independentemente do que em teoria se possa  considerar como sendo o verdadeiro início da vida - ao abandono das crianças à porta da antiga Roda ou aos expostos, valha-me  Deus! Não havia necessidade...

Por outro lado, como pode a Igreja Católica arrogar-se o direito de atirar a primeira pedra às mães que por razões seguramente ponderosas e seguramente também, de forma profundamente dolorosa, se vêm obrigadas a interromper a sua gravidez?

É que a Igreja Católica, tem mantido até hoje (e não se vislumbra nenhum sinal de que venha a mudar de atitude) a sua recusa insensível em aceitar qualquer método contraceptivo - verdadeiramente entendido como tal!

Donde necessariamente se tem que concluir, que essa atitude sim, não fora o empenhamento dos Estados e da sociedade civil em geral, criando Instituições de acolhimento humanizado ou promovendo a adopção, conduziria de facto à multiplicação dos "expostos" e "enjeitados" de que ousa falar...

Depois, Senhor Bispo, um dos Direitos Fundamentais do ser humano, é o de nascer e viver no seio de uma família feliz e existem muitas e muitas situações - a maioria daquelas que em teoria podem ser passíveis de uma interrupção de gravidez não penalizável - que seguramente não cumprem este desiderato.

Termino, congratulando-me por me incluir no número dos católicos, que se sentem felizes por permanecer no seio de uma Igreja fraterna, amiga, solidária e não sectária nem fundamentalista - uma Igreja que nem sequer equacione o regresso aos tempos da "Santa Inquisição"!

Uma Igreja que espero sinceramente seja já - ou venha a ser muito em breve - maioritária  entre os católicos!

publicado às 14:08

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D