Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

"A TERRA COMO LIMITE"

Numa altura em que o debate sobre as questões relacionadas com a Interrupção Voluntária da Gravidez, cresce de tom - facto a que não será totalmente alheia a divulgação de algumas sondagens sobre os possíveis resultados do Referendo do dia 11 - ganharíamos todos (o lado do SIM e o do NÃO) se respirássemos mais pausadamente e contássemos até 10 antes de debitarmos as nossas doutas opiniões sobre os temas em discussão.

Como dizia o Cardeal Patriarca de Lisboa D.José Policarpo, na Grande Entrevista transmitida ontem no Canal 1 da RTP, (numa lúcida abordagem, digo eu) NADA está decidido antecipadamente e em cada dia, há novos dados que alimentam esta dúvida - para os dois lados...

Esta constatação deveria constituir motivo mais que suficiente para nos auto impormos o máximo de contenção verbal e nos deixarmos TODOS, de andar para aí a dar tiros nos próprios pés...

O SIM, que não pode deixar de ter em conta que a Despenalização, quer queiramos quer não, mexe com sentimentos  de religiosidade profundamente arreigados, de uma grande parte das pessoas e que por isso mesmo, merece uma abordagem esclarecedora (mas também respeitadora desses sentimentos...) partindo de um princípio inquestionável de que a esmagadora maioria dos defensores do NÃO, está de boa fé!

De igual modo, o lado do NÃO terá que interiorizar que uma parte grande dos apoiantes do SIM, não concorda com a vulgarização do aborto nem o considera como uma conquista (no sentido mais usado do termo) para a mulher. Antes o admite como o mal menor, num contexto de dificuldades consideradas por esta, inultrapassáveis num determinado momento da sua vida...

(O SIM não impõe uma opção - essa deve ser da mulher - e por isso mesmo, rejeita qualquer penalização face à opção tomada...)

O NÃO, tem todo o direito de defender aqueles que diz serem os princípios da Moral Católica, mas não pode deixar de ter em conta, que esta questão não é uma questão religiosa!

Aliás, se o fosse, era a própria Lei actual que também estaria em causa ao admitir motivos justificativos para o aborto - casos de violação e saúde psíquica da mãe, por exemplo... - onde também seria lógico defender a prossecução da gravidez (ainda que depois, a criança viesse a ser encaminhada para adopção...) 

O lado do NÃO, também teria algo a ganhar (e ainda bem que não o tem feito, digo eu...) se deixasse de ameaçar com o fogo do inferno, com a excomunhão  e coisas do género, que terão seguramente sobre as pessoas, um efeito contrário ao pretendido...

Por último, e no campo das alternativas que o NÃO diz existirem para as mulheres, elas serão sempre bem vindas - eu pessoalmente, ficarei profundamente satisfeito, sempre que uma mulher concreta, que pense interromper a gravidez, deixe de o fazer, porque alguém lhe apresentou uma ajuda concreta para a situação que enfrenta...

Mas por favor, não convençam nenhuma mulher nesse sentido, apenas com promessas e sobretudo, não prometam o Céu (que nunca lhe poderão dar)...

O ideal seria que tivessem sempre a Terra como Limite - só assim a promessa poderá deixar  de ser apenas isso, para passar a ser uma realidade!

 

publicado às 15:24

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D