Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A CÂMARA DE VALONGO E A OPOSIÇÃO LARANJA - 'ETICA E BONS COSTUMES'...


Começa a dar demasiado nas vistas - quase no sentido literal da expressão - a postura de João Paulo Baltazar nas reuniões públicas da Câmara de Valongo e na que hoje teve lugar, não houve lugar à excepção...

 

(E quando digo sentido literal é porque 'areia para os olhos' mesmo que pouca incomoda sempre e João Paulo Baltazar não costuma poupar na dose).

 

Hoje destaco duas tiradas que tivessem elas outra paternidade e até poderiam ser relevadas com alguma bonomia, mas com ele não!

 

Tirada #1:

Criticou João Paulo Baltazar a entrevista do presidente da Câmara à revista Visão, porque "ridiculariza o Concelho"...

 

(Destaco o título da VISÃO: "VALONGO - PAGAR A LUZ DE UM BAR E METER ÁGUA"Escrevi sobre essa entrevista AQUI)  

 

Começou logo por dizer, que "durante 20 anos os jornalistas andaram pelos gabinetes e pelos corredores da Câmara (a gravar entrevistas ou a escrever notícias encomendadas por Melo e por ele próprio) - a parte entre parêntesis sou eu a dizê-lo - e nunca se atreveram a colocar fotos como a que aparece na notícia".

 

Nunca João Paulo foi tão transparente - e tão pouco cuidadoso também - como nesta abordagem às memórias dos 20 anos de desastre que conduziram Valongo à situação em que se encontra.

Desde logo, deixou claro que jornalista que aceitasse escrever sobre a Câmara ou fotografar algum do seu recheio, estava à partida limitado à 'versão melhorada' sobre o assunto que lhe era fornecida pelo poder.

 

Na dita entrevista, José Manuel Ribeiro falava em meter água no sentido literal, como se pode perceber pela fotografia em que aparece a olhar para a goteira que desagua sobre um conjunto de baldes colocados num dos corredores e não aparente fazer humor com a situação da Câmara.

 

Eu vou mais longe: A Câmara andou durante 20 anos a meter água no sentido literal e também no figurado  e quem o tenta negar é que cai no ridículo.

Foi o caso de João Paulo Baltazar hoje.

 

Tirada #2:

A segunda 'mão-cheia' de areia de João Paulo Baltazar foi a crítica relativamente à questão dos protocolos com as IPSS para o fornecimento da alimentação escolar e o facto de o presidente se referir à intenção de avançar com um concurso público que possibilite à Câmara poupar cerca de 370 mil Euros anuais como um dado adquirido.

Segundo o ex-presidente, "o executivo está a dar como certa a aprovação em reunião de Câmara onde a questão terá de ser ainda apreciada (mas isso é o que vamos ver)novamente esta parte é da minha lavra.

 

Sobre a apropriação ilícita de um diferencial (53 cêntimos por refeição) entre o valor do protocolo com as IPSS e o valor por elas subcontratado com uma empresa de catering, uma espécie de 'ajuste directo' encapotado e uma subversão clara das regras da concorrência - para não falar já na clara descriminação das restantes IPSS que honestamente consideraram não ter condições para assegurar o fornecimento das refeições - sobre tudo isto, João Paulo Baltazar nada disse.

 

Ou recorrendo a um conhecido chavão da área jurídica talvez mais adequado aos contornos do negócio que beneficia sobretudo a parceira ADICE, João Paulo Baltazar'aos costumes disse nada'... - aos bons costumes, acrescento eu.

 

 

 

 

publicado às 21:07

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D