Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

ALFENA DO NOSSO DESCONTENTAMENTO - DOIS PESOS E DUAS MEDIDAS...

20160929_234145.jpg

 

Assim não, Dr. Arnaldo Soares!

 

Por Alfena, tenho vindo a colocar as nossas profundas divergências - e elas são mais que muitas - numa espécie de 'banho-maria', porque quando se dá o caso de enfrentar um inimigo comum eu sou um pouco como 'aqueles-cidadãos-daquela-etnia-que a gente sabe'...

 

Pela terra que ambos adoptamos (eu há cerca de 30 anos, você não sei se mais se menos) temos mantido estrategicamente enterrados os 'machados das guerras' que cada um à nossa maneira temos vindo a travar em prole desta 'Alfena a bela', uma (agora) Cidade que já foi sede de Concelho mas que ao longo das últimas quase 3 décadas pelo menos, do Concelho tem recebido pouco mais que nada ou coisa nenhuma.

 

Não vou dizer que você tem feito tudo bem, da mesma forma que não posso dizer que tem feito tudo mal.

 

(E julgo que você pode dizer o mesmo de mim sem que eu ouse discordar).

 

No seu caso eu até me atrevo a ir um pouco mais longe dando-lhe, à laia do ex-Professor Marcelo e sem qualquer constrangimento, uma nota ligeiramente positiva.

 

Mas para usar uma expressão muito em voga quando falamos dos políticos para os quais é sempre possível defender hoje uma coisa e amanhã o seu contrário com a desfaçatez de todos os dias, 'há atitudes suas que me tiram do sério' e me obrigam a rever - circunstancialmente espero eu - o tácito e informal armistício.

 

Só um exemplo - e por enquanto basta:

 

Você tem vindo a questionar de forma muito vigorosa o presidente da Câmara pela forma como ele está a gerir o aditamento ao contrato com a Jerónimo Martins visando a beneficiação da Rua Nossa Senhora do Amparo no troço entre a N105 (largo da Codiceira) e zona da futura plataforma logística, com total desrespeito pela segurança e conforto dos moradores.

Estes, no exercício de um direito que lhes cabe, de serem ouvidos pelo seu presidente de Câmara a quem querem expor de viva voz expor as suas dúvidas e preocupações, entregaram há muitos meses um extenso abaixo-assinado solicitando uma reunião para esse efeito.

No entanto e numa atitude profundamente lamentável, José Manuel Ribeiro tem-se recusado sistematicamente a recebê-los, considerando que uma carta com meia dúzia de banalidades que lhes enviou pelo correio e paga por todos nós, o dispensa de os enfrentar olhos nos olhos.

Como sabe, eu tenho estado desde o primeiro momento ao seu lado.

(Como também estive, naquele outro  lamentável processo do 'novo plano viário' da Serra Amarela de onde José Manuel Ribeiro saiu com o 'rabo entre as pernas')...

 

Vamos ao reverso...

 

Há algum tempo atrás, os moradores de uma urbanização no Barreiro onde se insere o Restaurante 'O Teles, Cafetaria Gomes, Restaurante D.Garfo entre outros, tomaram conhecimento de que a Câmara se preparava para ceder à Associação Moto-Clube de Alfena, presidida por um membro do seu executivo e da qual você é também associado, uma parcela de terreno localizada naquela zona e próxima da rotunda da A41  - ver imagem a seguir.

 

Essa parcela, uma cedência imposta pela Lei no desenvolvimento do respectivo projecto de urbanização, destinava-se a implementar uma zona ajardinada, um qualquer equipamento colectivo ou destino equivalente e não para instalar uma sede de uma Associação Motard, muito respeitável, com uma actividade digna de realce, mas não susceptível no entanto de ultrapassar direitos específicos daqueles moradores - até porque a Câmara se quiser ajudar o Moto clube de Alfena, terá seguramente - e em Alfena - outras parcelas de terrena que lhes pode ceder.

 

"Estes, no exercício do direito que lhe cabe de serem ouvidos pelo seu presidente de Câmara a quem querem de viva voz expor as suas dúvidas e preocupações, entregaram há muitos meses um extenso abaixo-assinado solicitando uma reunião para esse efeito.

No entanto e numa atitude lamentável de profundo desrespeito, José Manuel Ribeiro tem-se recusado sistematicamente a recebê-los".

 

(Acabei de fazer 'copy-paste' do texto relativo ao abaixo-assinado da Senhora do Amparo)

 

Ontem, na sessão da Assembleia Municipal de Valongo onde ambos participamos, a passagem da referida parcela de terreno do domínio público para o domínio privado da Câmara e posterior atribuição ao Moto-clube de Alfena foi a votos.

 

Ainda que porventura defendendo a 'bondade' desta cedência, seria suposto que você se colocasse - era o mínimo que se lhe exigia como presidente de Junta e de todos os alfenenses - ao lado daqueles moradores no seu direito a reunirem com a Câmara para exporem as razões da sua discordância - até porque além do abaixo-assinado, eles entregaram também 17 'Reclamações fundamentadas' que não obtiveram qualquer resposta.

 

Mas nada disso aconteceu e pior do que não ter acontecido nada disso, foi o facto de você se ter arrogado o direito de guardião da razão e do bom-senso acusando-me de ser "o cavaleiro-andante de Alfena e (neste caso) de um grupo que não está aqui para dar a cara" - acabei de o citar...

 

(Julgo que você não estivesse a sugerir que eu deveria ter levado 'claque' para fazer a música de fundo, o que seria de todo uma inovação...).

 

Dois pesos e duas medidas para dois casos muito semelhantes Dr. Arnaldo Soares, que eu registo e que não vou esquecer. 

 

Por enquanto e no interesse de Alfena, mantenho o meu  'machado de guerra' devidamente embrulhado e protegido, enterrado ali ao fundo do meu quintal.

Por enquanto...

 

A Parcela:

 

Captura de ecrã 2016-09-30, às 23.36.38.png

 

_____________________________

PS:

Porque Alfena fica para aqui nu cu do mundo o 'poder deliberativo' de Valongo do qual eu faço parte, votou a deiberação por (esmagadora) maioria com um único voto contra...

 

Eis a minha declaração de voto:

 

 

Declaração de voto de vencido (Art.º 39.º - 3 e 4 do Regimento)

 

Voto contra e vencido, relativamente a assunto 2.4 constante da adenda à Ordem de Trabalhos (Desafectação do domínio público de uma parcela de terreno, com a área de 1.225,00 m2, sita na Rua 1º. De Maio, em Alfena) pelas seguintes e principais razões:

  1. O terreno em causa foi cedido à Câmara nos termos da Lei mas para além disso, justifica-se de facto o seu efectivo uso para resolver vários constrangimentos que a urbanização onde se insere enfrenta - inexistência de equipamentos públicos naquele local e necessidade de um traçado alternativo de saída para o centro de Alfena que obste à necessidade de ir à rotunda da A41;
  1. Para além disso, um grupo de moradores entregou em 19 de Julho de 2016 um ‘abaixo-assinado’ com 29 assinaturas solicitando uma reunião urgente com a Câmara para falarem sobre a intenção desta em ceder a referida parcela a uma Associação alfenense, sem que até agora lhes tenha sido dada uma resposta;
  1. Por último, foi entregue um conjunto de 17 ‘reclamações fundamentadas’ – 1 por mim próprio em 07/07/2016 e outras 16 em 20/07/2016 – sobre o mesmo assunto, sem que até à data a Câmara tenha dado resposta aos reclamantes;

Valongo, 29 de Setembro de 2016

(Celestino Neves)

 

 

 

 

 

 

publicado às 21:18

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D