Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE VALONGO - A INDEPENDÊNCIA TEM CUSTOS...

 

Apontamentos sobre a sessão de ontem da Assembleia Municipal de Valongo:

________________________________

 

1)

 

Porque não são de vidro os meus telhados - entre o granito e o aço, optei pela cerâmica...

 

Declaração/petição

 

            “Deputado da Assembleia Municipal de Valongo com obras ilegais em sua casa!”

 

Com o título acima e foto apensa, os valonguenses e também alguns munícipes de concelhos vizinhos – particulares e empresas - foram brindados há dias com centenas de ‘flayers’ impressos numa gráfica e distribuídos em correio azul de forma anónima e cobarde.

 

Em devido tempo, solicitei ao senhor Presidente desta Assembleia que me proporcionasse um encontro com os líderes de todos os grupos e consigo próprio, para falar sobre este assunto.

Fui informado a meio da tarde de hoje pelo senhor Presidente que após colocar o assunto aos restantes membros da Mesa, foi considerado que, por se tratar de um ataque anónimo, o assunto era meramente do foro pessoal não havendo razões para convocar uma reunião com os líderes dos grupos para me ouvir.

Não quero fazer quaisquer considerações relativamente à opção tomada pela Mesa.

 

Se fosse qualquer outro deputado desta Assembleia a ser alvo de um ataque cobarde do tipo do que me foi dirigido e envolvendo o tipo de meios que este envolveu sei a iniciativa que eu mesmo tomaria e que proposta estaria aqui a apresentar hoje mesmo.

 

O conteúdo do folheto vale o que vale e vale nada no meu entender, mas não tomar nenhuma atitude pode alimentar a dúvida e esta é incompatível com aquilo que eu entendo que deve ser o mandato de um deputado municipal.

 

Por isso gostaria de completar esta curta declaração, endereçando ao Senhor Presidente o seguinte pedido:

 

  1. Que a admitir alguma consistência nas acusações contidas no dito ‘flyer’ isso poderia ser susceptível de conduzir à perda do meu mandato como deputado municipal;
  2. Que independentemente das muitas manifestações de solidariedade que me têm chegado me sensibilizarem muito, isso não deve dispensar o cabal apuramento do que está em causa – se é que está algo em causa;

 

O Senhor Presidente promova da forma que achar conveniente a constituição de um grupo formal ou informal com a mais ampla representatividade nesta Assembleia, no sentido de proceder a um rápido esclarecimento de todos os alegados factos que a serem verdadeiros seriam susceptíveis de conduzir ao resultado acima sugerido, ouvindo quem deva ser ouvido, nomeadamente os serviços de fiscalização da Câmara, membros do executivo, a mim próprio e quem mais acharem por conveniente.

 

Que desde já disponibilizo – se isso for considerado adequado - uma visita ao local da minha residência a que se referem as acusações anónimas.

__________________________________________

 

2)

 

Não me agrada ver uma empresa que presta um serviço público relevante como é o do fornecimento de energia, comportar-se como um 'Estado' dentro do Estado. Os cidadãos não podem prescindir dos seus serviços -  a energia infelizmente ainda não pode chegar às nossas casas por via 'wireless' - nem é isso que está em causa, mas se temos que levar com as linhas em cima e várias 'Torre Eifel' nos pátios das nossas casas ou nos nossos quintais, ao menos demonstrem-nos sem grandes margens para dúvidas, que isso não nos faz morrer mais cedo do que devemos...

 

Moção

 

            “Exigir dos prestadores de serviços públicos o respeito pela saúde e o bem estar dos cidadãos e a salvaguarda da qualidade de vida e do ambiente”

 

Por mais de uma vez foi aqui trazido – e também às reuniões de Câmara – por um cidadão de Alfena (zona do Lombelho) o assunto relacionado com o aumento de potência das linhas de muito alta tensão que cruzam o nosso Concelho, no caso concreto a cidade de Alfena.

 

Em todas as ocasiões foram produzidas pelos membros do executivo afirmações e avançadas explicações perfeitamente inócuas invocando as dificuldades que se prendem com o ‘poder majestático’ da REN e apelando subliminarmente à desistência por parte dos cidadãos no que toca à defesa dos seus direitos.

Não é esse – não deve ser – o papel do poder local e por isso a Assembleia Municipal de Valongo manifesta:

 

  1. A sua profunda preocupação relativamente a este assunto e à falta de resultados visíveis no que toca à promoção do diálogo/esclarecimento por parte dos responsáveis da REN junto dos interessados mais directos, apesar da permanente insistência destes;
  2. O pedido para que tão rápido quanto possível o senhor vice presidente da Câmara - que detém o pelouro relacionado com este assunto – diligencie junto daqueles responsáveis no sentido de que recebam uma delegação encabeçada por si e que inclua os técnicos que considere útil incluir, dois representantes dos cidadãos e um representante desta Assembleia, preferencialmente e se existir, alguém com formação técnica na área das engenharias relativamente ao assunto controvertido das radiações electromagnéticas e aspectos associados.

_________

 

PS: A REN começou hoje - na sessão de esclarecimento que levou a efeito na Subestação de Ermesinde - a tentar demonstrar que quer construir uma relação mais amigável com os cidadãos, explicando como desenvolve a sua actividade, demonstrando o cuidado e a atenção que dedica às preocupações dos cidadãos, nomeadamente com a questão das radiações electromagnéticas e ambientais ligadas às linhas de muito alta tensão.

Esperemos que seja para continuar e que as garantias que nos foram dadas hoje tenham correspondência a nível dos resultados concretos.

________________________________________

 

3)

 

Porque sou (mesmo) independente e apenas devo fidelidade àqueles que em 30 de Setembro do ano passado me deram o seu voto, abstive-me ontem de forma crítica relativamente ao Orçamento do Município - por razões objectivas e expressas...

 

Ponto 2.3 (ORÇAMENTO, GRANDES OPÇÕES DO PLANO, MAPA DE PESSOAL E PLANO DE ACTIVIDADES E ORÇAMENTO, PARA O ANO 2015)

 

Declaração de voto de abstenção:

 

O meu voto de abstenção baseia-se no óbvio e que é o facto de por um lado considerar que só razões muito fortes me forçariam votar contra um instrumento fundamental para a vida do Município mas por outro, não conseguir perceber no meio de alguma opacidade de certas rubricas, pouca solidariedade relativamente a partes muito importantes do nosso Município, nomeadamente a Freguesia onde vivo e já aqui referida pelo seu presidente de Junta, a que acresce o facto de não se me aplicarem obviamente os pressupostos do EDO (Estatuto do Direito da Oposição), não se me aplicando também o direito de audição prévia. Esta minha posição pode vir a alterar-se no futuro, se como deputado independente não vir alterada a forma como me é dirigida toda a informação relevante sobre estas matérias.

Por último, a minha abstenção acolhe também as críticas relativas à despesa com obras no edifício Faria Sampaio, embora aqui até devesse ser mais um voto contra por motivos óbvios.

publicado às 19:32

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D