Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE VALONGO - A 'PREGAR AOS PEIXES'...

20170210_225650.jpg

 

"Sermão de Santo António aos Peixes ou no... deserto"

 

Estou a chegar a casa - são exactamente 01:53:33, 34, 35, 36.... horas da madrugada, vindo da Assembleia Municipal de Valongo e encontrei na minha página do Facebook esta partilha do meu amigo Ricardo Ribeiro, cujo link coloco aqui - Sermão de Santo António aos Peixes, do nosso ilustre Padre António Vieira.

 

Nem de propósito, caro Ricardo!

 

Infelizmente e ao longo destes anos que já passaram do actual mandato do actual presidente da Câmara de Valongo, tem sido a imitar o querido Santo António, que a parte dos deputados que não 'vestem de cor de rosa' tem andado: a pregar aos peixes - ou no deserto, o que ainda me parece pior!

 

Mas o caso de Valongo deveria passar a ser um caso de estudo para todos aqueles - muitos - que realçam o papel que o Poder Local desempenhou e ainda desempenha na consolidação da nossa Democracia:

É que apesar do número de deputados que têm vindo a reclamar sobre a falta de transparência da nossa autarquia e sobre a displicência do executivo minoritário e do seu presidente relativamente ao Poder Deliberativo de Valongo, a verdade é que José Manuel Ribeiro se tem estado nas tintas para a oposição -  maioritária na Câmara e inúmeras vezes maioritária também na Assembleia.

 

Encara o papel deste Órgão com displicência quanto baste e pese embora o facto de se ter confrontado vezes sem conta com críticas acesas e numerosas por causa deste lamentável desrespeito, a verdade é que tem conseguido sempre escapar a quaisquer consequências.

 

É claro que este lamentável desiderato só tem sido conseguido por força da "omissão de auxílio" da primeira figura do Município e que é o Presidente da Assembleia, em relação aos seus deputados.

 

Mais uma vez se falou de pedidos de informação que são alvo descarado do chamado 'veto de gaveta' durante meses, sem que sequer se vislumbre um pestanejar de incómodo ou um franzir de sobrolho por parte do nosso presidente.

Mas é claro que a Câmara continua a encher espaços pagos de jornais locais, regionais e nacionais,  para 'badalar' a recente conquista do 8.º lugar no ranking da transparência Municipal e hoje chegou mesmo a ensaiar um exaustivo 'voto de louvor' por esse feito.

 

Verificada a olho a previsível derrota do mesmo, lá teve de ser a CDU a dar uma mãozinha - e isto não é mesmo uma crítica à CDU - para ajudar a Câmara a salvar a face:

As creio que duas páginas encomiásticas lá tiveram de ser reduzidas a um pequeno parágrafo que acabou mais ou menos assim:

"A Assembleia Municipal de Valongo, aprovou um voto de louvor ao executivo pelo 8.º lugar no ranking da transparência municipal" - citei de memória. Mesmo assim, passou por uma pequena margem.

Um voto de louvor com um pequeno parágrafo diz (quase) tudo sobre o grau de transparência do nosso Município. 

 

Tal como eu tive oportuniddade de dizer a propósito, nesta coisa dos 'índices de transparência municipal' ela parece ser inversamente proporcional ao tamanho e ao tipo de letra das parangonas com que é badalada e em Valongo, o tamanho e a quantidade de títulos é enorme....

 

Eu por exemplo, apresentei mais um requerimento com vários itens, a maioria dos quais respeitantes ao tal 'veto de gaveta'.

 

E para terminar, a parte idiota da sessão: os parabéns de Arnaldo Soares, presidente da Junta de Freguesia de Alfena ao presidente da Câmara - "por lhe ter sido feita justiça, porque não vale tudo e quem de forma covarde, atrás do teclado de um computador, calunia e difama deve ser condenado" - citei-o de memória...

 

Evidentemente que usei de imediato a figura da 'defesa da honra' para dizer ao Dr. Arnaldo que ele não me dá lições - de espécie nenhuma - nem lhe dou o direito de transformar esta sessão da Assembleia numa espécie de 'Tribunal de segunda instância' para me julgar. A segunda instância está à distância de 1 mês e não será seguramente ele a julgar o meu recurso quando chegar o momento para isso.

 

E foi neste momento que me lembrei de uma frase atribuída a MarkTwain: "Nunca discutas com um idiota. Ele arrasta-te até ao nível dele, e depois vence-te em experiência".

 

O incidente ficou portanto por  ali, mas deu pelo menos para ver o grau de fiabilidade de um presidente de Junta que tão injustiçado tem sido por parte de José Manuel Ribeiro - ele não, Alfena - e a quem eu nunca tenho negado colaboração e solidariedade neste seu batalhar contra esse tratamento desrespeitoso.

 

Fica a seu 'débito', Dr. Arnaldo,  o "covarde" e "por trás de um teclado"... 

publicado às 01:51

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D