Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

COM OS UpA DE ARNALDO SOARES NEM NAMORO NEM 'FLIRT'...

 

 

 

Não podia deixar de voltar ao 'urbanismo criativo' da Câmara de Fernando Melo, João Paulo Baltazar - mas também de Arnaldo Soares...

 

O presidente da Junta de Freguesia de Alfena decretou a mobilização geral dos 'paramilitares' dos UpA para 'atacar' a obra particular da Rua do Viveiro.

Chegados porém ao local do conflito, concluiu o comandante em chefe da 'tropa macaca de amarelo vestida' que os recursos próprios de que dispunha não chegavam sequer para montar o cerco ao reduto, um minúsculo 'triângulo das Bermudas' irregular situado na confluência das Rua e Travessa do Viveiro e Rua de Baguim.

 

Costuma dizer o Povo que "quem não tem cão caça com o gato", mas Arnaldo Soares não é homem para se deixar guiar (apenas) pela sabedoria popular, tanto mais que adivinha uma escaramuça 'fratricida' - a obra foi licenciada no mandato anterior da Câmara, por amigos de 'outras batalhas' que não lhe vão desculpar a hostilidade.

Daí o golpe de rins consubstanciado na tentativa de um pacto de regime com as 'tropas cor de rosa e laranja' para não ser apenas ele a afrontar a Câmara de cuja ajuda não pode de momento prescindir.

 

Mas ele não vai afrontar a Câmara, ele vai sim obrigar a Câmara a pagar dinheiro para limpar a... porcaria feita por outros!

 

Este executivo tem em mãos uma obra licenciada no mandato anterior e reverter um acto administrativo exige desde logo que existam fundamentos suficientemente consistentes para o fazer. Mesmo assim, isso implicar seguramente o pagamento de indemnizações! 

 

Vou tentar sintetizar o que penso sobre esta questão:

 

Já o disse e vou repetir para que não restem dúvidas: esta obra, tal como está projectada é uma pequena aberração que, vá-se lá saber porquê, conseguiu escapar a todas as exigências que têm sido feitas relativamente a outras construções no mesmo local - distância ao eixo da via e passeios, nomeadamente.

 

Se Arnaldo Soares tivesse chegado apenas agora a Alfena, vindo de uma galáxia qualquer, eu dava-lhe inteira razão e recomendaria até vivamente o tal pacto de regime ou coligação 'ad hoc' que ele está a propor.

 

Porém Arnaldo Soares tem andado sempre 'por aí' e nunca se sentiu motivado nem capaz de motivar os restantes para outras guerras bem mais graves e que eu tenho vindo a denunciar neste espaço - mega burla (tentativa) da Quinta do Bandeirinha, aterro ilegal num terreno da Junta na encosta do Ribeiro de Junceda, instalações ilegais da empresa Marcelo Peixoto & Irmão, idem empresa Avelino Marques de Sousa, deposição ilegal de inertes em frente ao Cemitério Paroquial (o presidente de Câmara anterior e a Junta de Freguesia dos UpA cometeram a ilegalidade e o executivo Camarário actual é que vai ter de pagar a possível contra-ordenação) e tantos outros que me abstenho de enumerar.

 

Arnaldo Soares é sempre muito assertivo quando tem interesse em levar a água ao seu moinho - o caso da Rua do Viveiro é um dos exemplos - mas quando se trata de abdicar da sua habitual postura absolutista do 'quero posso e mando' aí ele já não abre mão e continua a fazer prevalecer o argumento idiota de 'nós temos a maioria'!

 

Têm a maioria? Então usem-na como bem entenderem e façam dela bom proveito!

 

Se eu estivesse no lugar dos eleitos das restantes forças representadas na Assembleia de Freguesia, marcaria publicamente a minha posição - no caso do Partido Socialista presumo que seja de desacordo relativamente ao tipo de licenciamento da obra em causa - mas nunca aceitaria juntar o meu voto ao dos UpA - pelos motivos expostos e que são bem fortes!

 

E no lugar do presidente da Câmara,  se encontrasse uma forma de reverter o acto administrativo do licenciamento em questão, fazia-o.

Mas se tivesse que pagar indemnizações por isso, então santa paciência, descontava-as logo a seguir nas transferências que tivesse de fazer para a Junta de Freguesia!

 

 

Serve assim Dr. Arnaldo Soares?

 

PS: E nem nesta altura de 'apelo ao consenso' (leia-se 'namoro interesseiro') o Dr. Arnaldo se lembrou de abrir a Junta aos cidadãos, tornando livre - como manda a Lei - o acesso ao site e aos documentos administrativos?

 

publicado às 01:26

3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D