Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

E AINDA SOBRE O DEPUTADO "ABSTÉMIO"...

Citando o AVENTAR.eu:

 

DEPUTADO DO PSD RECUSA TESTE DE ALCOOLEMIA ÀS 5 DA MANHÃ

Captura de ecrã 2015-11-3, às 23.42.03.png

 

Dia 2 deste mês o Correio da Manhã, no seu website, noticía que, ontem, o deputado do PSD, Miguel Santos, recusou submeter-se ao teste de alcoolemia depois de ter sido parado pela PSP quando seguia de moto, às 5 horas e 5 minutos da madrugada, na Avenida do Brasil, no Porto. O argumento do deputado Miguel Santos para se recusar a fazer o teste do álcool foi segundo o agente da PSP a “ imunidade parlamentar “.

Mas qual é o cidadão português que se pode recusar a fazer um teste de alcoolemia refugiando-se na “ imunidade parlamentar “? Então os deputados, governantes, conselheiros de estado, presidentes da república porque possuem imunidade parlamentar podem andar nas estradas portuguesas alcoolizados, livres de fazer testes de alcoolemia, correndo o elevado risco de matarem cidadãos portugueses que vão tranquilos e sossegados na estrada ou na via pública? E já agora estes indivíduos que ocupam estes diversos cargos públicos podem desobedecer às autoridades tendo por base a “ imunidade parlamentar “?

Mas o mais curioso é que o deputado Miguel Santos na mesma notícia disse “ Eu não tinha bebido álcool, aliás, nem bebo”. Então qual era o problema para fazer o teste da alcoolemia? Este senhor só pode estar a tentar fazer de todos os portugueses parvos.

Também curioso é que Miguel Santos apenas trazia consigo o cartão de deputado. Então não seria mais prático e prudente fazer-se acompanhar do seu cartão do cidadão? Ou será que o cartão de deputado é usado como “ arma de intimidação “ junto das autoridades? Será que o deputado Miguel Santos vai dizer que estava, às 05h05 da madrugada de um Domingo, em missão parlamentar?

Coincidência, ou talvez não, Miguel Santos é um dos conhecidos “SHM” de MAC.

Este deputado é exactamente o mesmo que na anterior legislatura na sequência de um protesto, no Parlamento, de um doente com Hepatite C, que aguardava há mais de um ano por um medicamento inovador que lhe podia salvar a vida, tenha dito que a situação em causa se tratava de ” um circo ” sublinhando ” que são pessoas que cá estão e que querem criar um incidente “. Nessa altura o cronista do Expresso, Daniel Oliveira escreveu um artigo de opinião apelidando este deputado de ” sociopatatendo também no programa ” Eixo do Mal ” da SIC Notícias referindo-se a toda esta desagradável situação.

Este tipo de atitudes reiteradas de Miguel Santos envergonham o Partido Social Democrata e o Parlamento, apenas possível de um indivíduo desprovido de qualquer sensibilidade humana e social, que se considera acima da lei. Aliás, este deputado tem responsabilidades acrescidas atendendo a que é vice-presidente do grupo parlamentar do PSD, Director do Jornal do Partido ” Povo Livre ” e vice-presidente da Distrital do PSD do Porto, que é presidida por Virgílio Macedo, actual Secretário de Estado Adjunto da Administração Interna, que tutela precisamente a Polícia de Segurança Pública.

Na altura do caso da comissão parlamentar da saúde dirigi uma carta aberta ao presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, a solicitar a abertura de um processo disciplinar a Miguel Santos visando a sua expulsão. Porém parece que nada foi feito.

Espero agora, que perante estes novos factos, o Presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, retire de imediato a confiança política a Miguel Santos, demitindo-o de todos os cargos políticos que exerce, nomeadamente, as funções de vice-presidente do grupo parlamentar do PSD, de director do jornal Povo Livre, de vice-presidente da Distrital do Porto do PSD e de presidente da concelhia do PSD de Valongo, sendo aberto de imediato um processo disciplinar com vista à expulsão de militante do Partido Social Democrata.

P.S. – Informo que solicitei ao Sr. Ministro da Administração Interna, Dr. João Calvão da Silva e ao Sr. Director do DCIAP, Dr. Amadeu Guerra, a abertura de um inquérito para apuramento total dos factos.

(Aventar)

publicado às 23:28

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D