Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

"NÃO SOMOS TODOS IGUAIS" - PASSOS COELHO DIXIT...

Se há pessoas relativamente às quais me sinto à vontade para dizer o que se segue, uma delas é José Sócrates.

Durante muito tempo andei por aqui a escrever coisas pouco agradáveis sobre a personagem, ou melhor, sobre as suas inúmeras malfeitorias, sobre a sua personalidade truculenta, sobre os vários contornos da sua desgovernação...

 

Durante algum tempo fui um seguidor atento e um apoiante quase incondicional do Blog 'Do Portugal Profundo' e do dono do mesmo, o professor António Balbino Caldeira, que o transformou em 'personagem principal' dos seus post, ou seja, numa espécie de 'inimigo de estimação' que mantém até hoje e por via disso, teve de enfrentar nos tribunais várias queixas interpostas pelo 'engenheiro ora filósofo e ora também, escritor para consumo próprio' - ao que dizem...

 

Mas esta quase consensual forma de 'bem querer' à personagem, partilhada aliás por um elevadíssimo número de portugueses, não me tolda a capacidade de avaliação relativamente àqueles que se lhe seguiram e só fizeram pior que ele - bem pior, infelizmente!

 

O Povo costuma dizer a propósito, que "atrás de mim virá quem bom de mim fará"...

 

Pela parte que me cabe, não faço uma leitura demasiado simplista e literal deste ditado popular, pois tenho a certeza de que neste caso concreto,  o que ele significa é que desprezamos as outras opções - e elas sempre existiram e continuarão a existir! - "entre o desastre e a catástrofe" e optamos pela última. E temo-nos dado tão mal! 

 

Mas calma aí! Antes que alguém comece a retirar ilações abusivas desta afirmação, digo já que a parte em que estivemos muito mal não foi aquela em que nos esforçamos para correr com o  engenheiro/filósofo através das muitas manifestações, greves, lutas das mais diversas, escrita contundente - António Balbino Caldeira, eu próprio e tantos e tantos outros, fizemos o melhor que pudemos - mas aquela em que elegemos "a catástrofe"!

 

Aqui chegado, é tempo de fazer uma incontornável referência à detenção de José Sócrates...

 

Apesar de estar livre de queimar as minhas mãos por ele - antes pelo contrário - não gosto do que tenho visto ao longo destes quase 3 dias de 'folclore' mediático e quase pornográfico.

 

Se José Sócrates estivesse a ser julgado pelos seus (eventuais) crimes eu até transigiria, mas não é isso que está a ocorrer: o que o Juiz Carlos Alexandre está a fazer é simplesmente um interrogatório exaustivo e uma avaliação de eventuais indícios recolhidos ao longo de - ao que dizem - um ano de investigações do Ministério Público, no sentido de decidir se, em que moldes e com que medidas de coacção associadas acusa José Sócrates - e demais detidos.

 

Será que para alcançar este desiderato a Justiça não podia optar por outros procedimentos?

Será que José Sócrates não poderia ter sido seguido discretamente até casa ou ao hotel e aí ser formalmente intimado a comparecer no DIAP em dia e hora indicados?

Será que não havia forma - neste e noutros casos semelhantes - de trocar as voltas aos abutres da imprensa e das TV's de sarjeta e dos paparazzi que sempre lhes andam associados? 

 

Por último, é estranho, mesmo muito estranho, á que seja necessário ser 'ex-qualquer coisa' para poder ser detido e eventualmente acusado de qualquer coisa - ex-primeiro ministro ex-presidente da República, ex-presidente do clube da águia ou do 'alguidares de baixo'...

 

A terminar, aquela que eu considero a 'frase do século', proferida por Passos Coelho a propósito da detenção de José Sócrates:

 

"Hoje, eu acho que vale a pena dizer, que não somos todos iguais(...)"

 

Oh! Pedro! É claro que nós sabemos: comparando o desastre e a catástrofe, a última é 'menos igual'...

 

Ocorre-me a propósito, a resposta daquela prostituta ao cliente deputado da Nação e alegadamente honesto: "(...) e eu também sou virgem"...

publicado às 18:45

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D