Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

SEC (Sociedade de Empreitadas e Construções) UMA EMPRESA INCUMPRIDORA E SOCIALMENTE IRRESPONSÁVEL

 

A SEC - Sociedade de Empreitadas e Construções, de Almerindo e Artur Carneiro, agora falida, é um verdadeiro 'case study' de mau comportamento social e de litigância de má-fé visando silenciar este Blog e o seu autor, por ter ousado afrontar uma das principais empresas do regime (de Melo & compª.) e pôr a nu estes falsos mecenas de Ermesinde.

Na hora do 'toca a fugir' estes empresários 'incumpridores e socialmente irresponsáveis'  - foi assim que eu os descrevi nos vários artigos do Blog que deram origem à queixa-crime - não hesitaram em se pôr a salvo com tudo o que puderam arrebanhar, deixando atrás deles a gritar 'aqui-del-rei' os seus trabalhadores espoliados.

 

 

(es·po·li·ar - Conjugar

(latim spolio, -are)
verbo transitivo
1. Tirar (a outrem) com artimanha a propriedade de alguma coisa.
2. Desapossar com violência ou fraude.
3. Despojar; esbulhar -  in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa).

 

Relembrando os factos:

 

Em 21 de Julho de 2015 escrevi aqui este artigo sobre o julgamento de dois 'crimes' de difamação agravada de que fui acusado por estes empresários 'incumpridores e socialmente irresponsáveis' e sobre a sentença proferida no dia 18 de Junho onde apesar das ajudas de dois (não) distintos autarcas "socialistas" de Ermesinde e do ex-presidente da Câmara de Valongo, que como testemunhas da SEC não hesitaram (os dois primeiros) em 'mentir com quantos dentes tinham na boca' ou (o último) a colocar 'photoshop' na verdade para (todos eles) tentarem transformar os 'lobos' Almerindo e Artur Carneiro em inofensivos 'cordeirinhos'.

Fui integralmente absolvido, numa sentença digna de registo.

 

Não se conformaram os incumpridores e já no limite do prazo para o fazerem, recorreram para o Tribunal da Relação do Porto - quem tem o dinheiro que falta àqueles a quem espoliou pode dar-se ao luxo de fazer 'litigância de má-fé'...

 

Como quem não deve não teme, aguardei serenamente, sem me deixar condicionar pelo ridículo 'rosnar' destes pequenos 'tigres de papel' - neste intervalo, já por mais de uma vez voltei a escrever sobre as lamentáveis personalidades do subúrbio e sobre os seus crimes, como pode ser constatado.

 

Hoje finalmente, chegou a previsível NOTÍCIA: o acórdão do Tribunal da Relação do Porto (1ª Secção Criminal) considerando improcedente o recurso dos litigantes e condenando-os a pagar as custas - 5 UC (+/- 500 Euros).

 

Recorte do Acórdão:

SEC_Tribunal da Relação.jpeg

Mais do que exteriorizar a minha satisfação por ver a nossa Justiça ser uma vez mais justa, julgo que merece ser destacada a justiça indirecta que este Acórdão faz aos trabalhadores roubados da SEC, revoltados com o papel de 'coitadinhos' que os incumpridores tentaram fazer passar no Tribunal de Valongo e agora também na Relação do Porto.

 

Muito em breve voltarei 'à antena' para actualizar a lamentável situação da falência da SEC falar sobre as dificuldades por que passam todos os espoliados que até ao momento continuam à espera da sua parte na divisão do valor apurado no leilão de bens. 

 

 

 

 

publicado às 19:13

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D