Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

TODOS DIFERENTES, TODOS IGUAIS...

Comecei a avistar ao longe o "bendito" painel e uma alegria inefável inundou o meu coração: Finalmente a possibilidade de uma verdadeira - porque bem informada - opção na altura de atestar.

Mas... que diabo...opção?

Furioso com a (aparente) mistificação, resolvi sair na primeira área de serviço e informar-me acerca da situação insólita. A simpática funcionária que me atendeu remeteu-me para uma informação escrita que me estendeu com ar apressado - que já tinha na fila meia dúzia de clientes para pagar...

Já que ali estava, aproveitei para uma pequena pausa e entre um café e um queque - que um dia não são dias - li o seguinte:

" A CNCPC - Confederação Nacional da Concertação dos Preços dos Combustíveis, reunida na sua Sede Nacional sita na Plataforma Continental de Extracção do Beato para analisar as questões relacionadas com a determinação legal de afixar nas auto-estradas painéis electrónicos informativos, com os preços dos combustíveis nas três áreas de serviço mais próximas e tendo em conta que ficar sem combustível na auto-estrada, representa para qualquer veículo um factor agravado de risco, quer para o mesmo, quer para veículos terceiros e considerando por outro lado que, a verificarem-se diferenças de preços nas referidas áreas - como parece que era desejado pelo Legislador - esse factor de risco seria inevitavelmente agravado com todas as consequências inerentes, em resultado de arriscadas decisões de adiar o abastecimento até à área de preço mais baixo delibera:.

a) Manter numa primeira fase em todas as áreas concessionadas abrangidas por esta Confederação e que representam 99,999% do total das áreas de serviço, preços iguais em todos os painéis. 

b) Numa segunda fase e tão breve quanto possível, com vistas a dar uma ideia de concorrência, que tem sempre efeitos psicológicos benéficos sobre o consumidor, os signatários implementarão um sistema de rotatividade mensal de preços variados a apresentar nos respectivos painéis.

Beato, Lisboa, 31 de Fevereiro de 2009

etc.,etc."

Fiquei pois completamente esclarecido e já aconchegado com o cafezinho, o queque e este miminho de preocupação social das Petrolíferas, lá regressei ao asfalto para o resto do percurso.

Ainda bem que vivemos nesta bela "República das Bananas"!


PS: A situação descrita no texto é (por enquanto) pura ficção. Quanto à fotografia, essa é bem real e deve encher de orgulho aqueles que legislaram sobre o assunto...

publicado às 10:26

ALFENA - "diz que tem uma espécie de Unidade de Saúde Familiar" -"take" 2

Será que tenho  “a tal gripe”?

Comecei a debater-me com esta dúvida atroz desde anteontem, a partir de um telefonema que recebi  da minha Unidade de Saúde(Alfena - a tal que “dizem que é uma espécie de Unidade de Saúde Familiar…) a marcarem-me uma consulta(!)
Ora bem… Se não fui eu a pedir a dita (porque não estou doente) a dúvida que me assaltou de imediato foi de que pudesse ter a ver com algum problema de Saúde Pública e – imediata e inevitável associação de ideias – com a “gripe mexicana”!
(Bem sei que Alfena (ainda) não tem voos directos para o México - isto por aqui, é mais montes e vales, pelo que a construção do aeroporto não se tem mostrado viável - e também sei que faz já alguns anos que não levanto as asas cá do "rectângulo"... Por isso, o meu "receio" não fará grande sentido).
Não entrei pois em pânico, não fui a correr à farmácia comprar TAMIFLU, nem liguei para a “Linha Saúde 24”!

Liguei foi para a ARS/Norte – Gabinete do Utente a perguntar pelo andamento de uma Reclamação apresentada em 18 de Março na minha Unidade de Saúde (a tal…) e da qual não obtive até à data,  qualquer resposta – bem sei que os "direitos dos cidadãos”, o “Simplex” e blá-blá-blá, são conceitos abstractos que importa reduzir à sua verdadeira insignificância, quando invocados pelo cidadão comum. Sei isso tudo! Mas mesmo assim, liguei e "atrevi-me" a perguntar - isto porque de repente, tive um “palpite”: Como na referida Reclamação eu invocava o direito a poder pedir a medicação habitual (portanto já devidamente registada no meu processo clínico) através de e-mail (como dador de sangue, isento do pagamento de taxas moderadoras nem sequer existe o argumento do pagamento das mesmas, para me obrigar a apresentar o pedido presencialmente...) a dita consulta mais não visaria do que “contornar habilidosamente esse problema".

Ficaram de averiguar e de me dar uma resposta. Esperemos pois (será melhor esperar sentado?)

Até lá, vou tentar acreditar que o motivo da tal consulta seja mesmo esse: um pequeno subterfúgio da Drª. Marilita (a Coordenadora da Unidade de Saúde). Mas em maré de quase pânico a nível mundial, marcarem-nos assim uma consulta, sem mais explicações e sem “água vai”, não se faz! Até me podia dar uma “coisinha má”!

Falta só dizer, que a consulta é no dia 8 de Maio, mas só lá vou depois de me informarem qual é o motivo e o nome do médico por quem vou ser consultado - para não correr o risco de dar de caras com algum psiquiatra ainda mais maluco do que eu...

 

publicado às 15:17

VERGONHA!

Familiares das vítimas da queda da ponte de Entre-os-Rios, intimados a pagar meio milhão de Euros de Custas Judiciais...

Quando já pensávamos que a nossa Justiça tinha batido no fundo, afinal ainda faltava mais este trambolhão.

Não nos bastava ter assistido àquelas deprimentes sessões do julgamento dos culpados - que afinal não o eram, porque a ponte caiu apenas por intervenção Divina (ou neste caso, provavelmente por omissão...).

Os engenheiros, os técnicos, os governantes, a Junta Autónoma de Estradas, todos fizeram o que deviam e os únicos que "erraram" foram as vítimas que decidiram estar à hora errada no sítio errado!

Por isso, é justo que não podendo ser eles a assumir as referidas Custas (afinal estão mortos) tenham de ser os familiares fazê-lo!

Surrealista! Revoltante! Retrato fiel deste País doente, onde pelos vistos, só os que chafurdam no charco nauseabundo e malcheiroso do Poder, é que conseguem convencer os julgadores de serviço - e obviamente, porque ganham as acções, não têm que pagar as respectivas Custas...

publicado às 21:53

PALAVRA DE... DEPUTADO!

Eu acho bem que não se criem dificuldades às faltas dos Deputados da Nação!

Faz todo o sentido.

Onde é que já se viu que a nata, a fina flor da Nação, eleita pelo Povo, precise de ser tratada como o... próprio Povo, no que se refere às ausências do trabalho?

Um Deputado nunca falta: Mesmo quando está ausente está a "trabalhar" algures noutro sítio!

Aliás, um Deputado mesmo que estando presente pareça estar ausente ("passando pelas brasas" ou lendo descontraidamente o jornal enquanto os outros falam) está apenas a reflectir ou a organizar as ideias...

E se ponderarmos bem, um Deputado ausente - sobretudo se pertencer à actual maioria - é sempre uma hipótese acrescida de podermos ver aprovada uma boa Lei (ou uma Lei menos má...).

 

publicado às 10:52

OÁSIS...

Segunda derrota
Pedroso perde caso contra ex-alunos da Casa Pia
O deputado do Partido Socialista Paulo Pedroso perdeu no Tribunal da Relação a acção para condenar como difamadores os que o acusaram de abusos sexuais, no âmbito do caso Casa Pia

É bom depararmos de quando em vez com um ou outro oásis no meio do deserto inóspito em que o Poder Político tem vindo a transformar nos últimos tempos a nossa Justiça...

Esperemos que o recurso do Ministério Público sobre os 100 mil euros que o Estado (entenda-se o Povo) foi condenado a pagar pela alegadamente injusta prisão preventiva da "figura", tenha um desfecho idêntico - para desgosto de Sócrates que (digo eu) adoraria que fosse perdido pelo MP...

É a vida! Os desaires dos nossos amigos, nossos desaires são...

publicado às 16:47

AI ESTE ALEMÃO PASTOR!...

Ontem deixei aqui a minha revolta como católico - "não muito alinhado” – pelo triste contributo que o Papa está a prestar à Humanidade que sofre os horrores da epidemia galopante dos nossos tempos -  a SIDA (AIDS).

Ainda por cima, tinha logo que desatinar sobre o "uso do preservativo" a  caminho da República dos Camarões e de um Continente que é dos mais martirizados pelo flagelo da doença... Podia ter começado por falar da fome, dos direitos humanos (neste caso, da falta deles) podia até ter feito uma alusão (ainda que diplomaticamente cuidadosa) ao papel do ditador que o recebeu horas depois e se sentou em lugar de destaque nas celebrações, ao lado de uma “primeira dama” de figura e porte patéticos e que governam aquele País com mão de ferro.

Mas não foi essa a linha de rumo que escolheu – como seguramente não será, quando iniciar a segunda etapa da visita, em Angola!

Também nesse grande País que nos toca especialmente no coração, não lhe faltarão motivos diferentes dos que vai escolher para se dirigir aos católicos: corrupção nepotismo exploração de todo um Povo por parte de uma restrita clique, atropelo aos mais elementares direitos da maioria dos seus cidadãos…

Será que também em Angola, vai fazer passar uma vez mais, todos os católicos pela vergonha de terem um perfeito demente intelectual como Pastor máximo da sua Igreja?

Como acontece com muitos outros dirigentes mundiais, também a ele não lhe falta “coragem” para afrontar os mais fracos - neste caso,  os que sofrem o flagelo da SIDA, ameaçando-os com o “fogo do inferno” se não se submeterem à inevitabilidade do sofrimento provocado pela doença para se redimirem do pecado - estão proibidos pela Lei católica, de tentar fugir a essa inevitabilidade!

Quando escuto determinadas “bacoradas”, apetece-me dizer que melhor seria ter posto um “pastor alemão” na frente dos camaroneses: ao menos (porque não fala) não correriamos o risco de que pudesse dizer asneiras susceptíveis de pôr em causa o trabalho levado a cabo por tantas Organizações não Governamentais (algumas ligadas à própria Igreja) que naquele Continente tentam contribuir para controlar os números avassaladores da doença!

Mas não! Tinha logo de ser o Alemão Pastor a encarregar-se da tarefa de tentar estragar tudo…

 

publicado às 22:26

INFORMAÇÃO PRIVILEGIADA

Parece que se confirma - apesar das acções mediáticas de alguns clientes agora "travestidos" de pobrezinhos - que o BPP era de facto um Banco de administração de fortunas.

Não se compreende por isso a "torrente de lágrimas" que muitos deles vieram derramar no penúltimo "Prós e Contras" da RTP, alegando terem sido induzidos em erro no sentido de os convencer que estavam a subscrever "Depósitos a Prazo" tradicionais - argumento em que se apoiam para exigir do Estado (de todos nós) o reembolso das suas poupanças.

Mas há um conjunto de clientes do BPP que podemos considerar privilegiados, por terem tido tempo de resgatar as suas poupanças antes da hecatombe e que por isso mesmo não precisaram de se juntar ao bando dos "indigentes" que se apresentaram no dito programa.

Pelos vistos, o Santuário de Fátima encontra-se nesse conjunto...

Claro que neste caso particular, alguns se questionarão sobre se se terá tratado de simples golpe de sorte, de ajuda Divina ou se pelo contrário terá havido aqui o recurso a  "informação privilegiada"...

Alguém por acaso terá visto João Rendeiro na fila para se confessar, nos dias que antecederam a movimentação da conta do Santuário?


PS: Parece que o Santuário agora é cliente da Caixa Geral de Depósitos - que a partir deste momento, se assume também oficialmente, como "Caixa de Esmolas"...

publicado às 14:12

"CAUTELA COM OS AMORES..."

D. José Policarpo costuma ser mais contido quando emite opiniões - sobretudo em público e perante a comunicação social sempre ávida em apanhar gafes...

Falava nos perigos que as nossas jovens correm quando se apaixonam e  casam com muçulmanos...

- Mas eminência, não está esse risco sempre presente seja qual for o credo professado pelo noivo?

Mesmo no caso em que os dois são católicos, há sempre a possibilidade de o noivo ter mau hálito, cheirar mal dos pés, ressonar durante o sono, sofrer de gases e eu sei lá que mais!

Depois, subsiste sempre - mesmo na ausência de qualquer destes problemas - a questão incontornável de ter que dividir o território, começando desde logo pela cama... É que faz toda a diferença, ter uma (cama) só para nós, onde podemos esticar uma perna para cada lado e onde eventuais problemas de aerofagia nem sequer se colocam, ou ter que a dividir com um condómino! Sobre isso porém, D.José não disse nada - porque não tem experiência própria (e mesmo que a tivesse, seguramente não o referiria...) 

Mas sempre é bom recordar, que desde os Descobrimentos (ou achamentos) portugueses, que temos mantido uma prática que vai noutro sentido! (Por alguma razão, quando viajamos por esse mundo fora, costumamos encontrar entre chineses, indianos, egípcios, africanos, etc., apelidos bem portugueses como Cabral, Gama e outros...)

Com tantas guerras para nos apoquentar, tinha logo o D.José Policarpo de abrir mais uma frente com os nossos irmãos muçulmanos portugueses? "Não havia necessidade!"

 

publicado às 10:10

ALHEIRA COM... DIOXINAS!

A dioxina é um organoclorado altamente tóxicocarcinogénico e teratogénico. É um dos poluentes orgânicos persistentes sujeitos à Convenção de Estocolmo.

As dioxinas são subprodutos não intencionais de muitos processos industriais nos quais o cloro e produtos químicos dele derivados são produzidos, utilizados e eliminados. As emissões industriais de dioxina para o meio ambiente podem ser transportadas a longas distancias por correntes atmosféricas e, de forma menos importante, pelas correntes dos rios e dos mares. Consequentemente, as dioxinas estão agora presentes no globo de forma difusa. Estima-se que, mesmo que a produção cesse hoje completamente, os níveis ambientais levarão anos para diminuir. Isto ocorre porque as dioxinas são persistentes, levam de anos a séculos para se degradarem e podem ser continuamente recicladas no meio ambiente (Wikipédia).


É um aborrecimento pegado! Ele é a gripe das aves, a doença da língua azul, a doença das vacas loucas... e agora levamos com as dioxinas da Irlanda na carne de porco!

Também com o Planeta poluído como está cada vez mais, qualquer dia para termos alimentos em condições - sejam de origem animal, sejam vegetais, a própria água - vamos ter de recorrer ao seu processamento em espaço protegido...

Valha-nos ao menos a providencial ASAE que embora a jusante do processo lá vai bisbilhotando nas prateleiras, nos congeladores, nos armazéns, para nos dar alguma tranquilidade!

Mesmo assim, dei hoje por mim a olhar desconsolado para a famosa alheira de Mirandela deliciosamente esparramada no meu prato e confesso que me "cortei"...

(Raio da notícia tinha logo que passar na TV no momento em que eu começava a dissecar a dita! Eu até já me tinha esquecido...)

Fiquei-me pois pelo esparregado de legumes e pelo arrozinho branco que completavam o acompanhamento, fingindo uma falta de apetite que não correspondia de todo à verdade..."Não estava a seu gosto? Quer experimentar umas fatiazinhas de entrecosto de porco grelhadas que estão uma delícia?" - pergunta-me simpático o dono do restaurante..."Não! Não!" (quase grito). "Estou mesmo sem apetite, obrigado!"

(Possas! que situação mais embaraçosa... Será que não tinha outra alternativa sem dioxinas para me oferecer?)

publicado às 18:19

"JURO PELA MINHA HONRA - II"

Dias Loureiro tentou vender gestora ao BIG

 

Fundo fraudulento. O envolvimento numa alegada fraude fiscal de um fundo de investimento imobiliário gerido por uma empresa de Dias Loureiro colocou de novo o político no centro de uma nova polémica. A empresa em causa, a Valor Alternativo, tem igualmente como accionista Jorge Coelho

Dias Loureiro e Rui Vilas, principais accionistas da Valor Alternativo, sociedade gestora do fundo Valor Alcântara que terá sido financiado de forma ilícita, tentaram vender a gestora ao Banco de Investimento Global (BIG), em Maio último. Apesar de ter sido assinado um memorando de entendimento, o acordo nunca se concretizou, apurou o DN. Caso tal ocorresse, Dias Loureiro passaria a ser consultor do BIG.

A Valor Alternativo surge agora envolvida numa alegada fraude fiscal, ao gerir o fundo Valor Alcântara, cujos seus três únicos participantes foram alvo de uma investigação, com a Polícia Judiciária e a administração fiscal a detectarem uma suspeita de fraude com IVA, superior a cem milhões de euros, segundo o Público de ontem. Com o desenrolar das investigações, a Valor Alternativo solicitou à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), entidade que supervisiona a actividade, a suspensão do fundo Valor Alcântara, mas o DN sabe que tal não foi autorizado.

Dias Loureiro foi ontem à SIC explicar os diferentes passos das investigações, adiantando que os responsáveis da empresa de que é accionista e chairman "não fizeram nada de mal", tendo decidido "dar a cara por quem trabalha naquela casa". O político adiantou que "se sentiu mal" quando viu a notícia, referindo que actualmente a Valor Alternativo ainda gere o fundo, apesar do fundo Valor Alcântara estar confiscado pelo tribunal de Gondomar, onde decorre o processo.

Questionado quanto à ligação do seu sócio na sociedade gestora, Rui Vilas, ao Banco Português de Negócios (BPN) - Vilas trabalhou na Fincor, corretora comprada pelo banco -, Dias Loureiro considerou "uma maldade", uma vez que o gestor já tinha saído da Fincor, quando esta foi vendida. "Trata-se de uma pessoa supercompetente", referiu. O DN sabe que sociedade detida por Dias Loureiro vai processar o jornal Público.

O fundo Valor Alcântara tem como três únicos participantes Afonso da Silva Fernandes e sua mulher, Maria Eugénia, e ainda a Sedfer, empresa de reciclagem de resíduos detida por João Fernandes, Paulo Fernandes e a sociedade AS Fernandes.

Esta última tem sede em Palmela, sendo curiosamente neste concelho, em Poceirão, onde se encontram os principais activos (terrenos e prédios rústicos e urbanos) geridos pelo fundo. Trata-se de uma região de grande valor estratégico, devido à criação da plataforma logística e à passagem da linha de alta velocidade. Estes empresários terão obtido os imóveis integrados no fundo com reembolsos ilícitos de IVA, no valor de 4,5 milhões de euros, entre 1990 e 2004.

Num comunicado emitido sexta-feira, a sociedade gestora enuncia o desenrolar das investigações desde Novembro de 2007, esclarecendo que os seus gestores não são arguidos e estão impossibilitados de "promover uma efectiva gestão do património imobiliário do fundo" -in-Diário de Notícias (Paula Cordeiro) 07-12-2008 com C.R.L.

Pois...
A Comunicação Social adversa tem a mania!
O que vale, é que o PR ainda dá valor ao significado da expressão "palavra de honra" e por isso, o seu lugar no Conselho de Estado, está garantido!
Quanto ao Jorge (Coelho), a sua cadeira no Grupo Mota Engil nem sequer abanou: É que as empresas privadas não dão importância a estes pormenores sórdidos ou quando dão, é no sentido de os considerarem predicados e não defeitos!
Por isso, caros amigos, continuem a empenhar-se no vosso trabalho em prole do bem comum. O País precisa de vós!

 

publicado às 19:54

Mais sobre mim

imagem de perfil

Posts mais comentados

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D