Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

PORTUGAL E OS NOVOS 'ESCRAVOS'...

Ouvi hoje num dos repetitivos noticiários dos vários canais de TV - ou terei lido algures aqui na Rede, numa qualquer versão online de um qualquer Jornal daqueles que já não precisam de jornalistas para redigir as notícias? - que havia professores no ensino superior a darem aulas a 5€ à hora.

 

Fui apanhado meio distraído já a meio da notícia e pensei que estariam a falar da equipe das limpezas lá da Universidade. Até comentei com a minha consorte "sempre são mais 50 cêntimos do que pagamos à D.ª Fátima" (a senhora que vem cá a casa 6 horas por semana).
 
Mas não!
 
Porque não gosto de ficar com dúvidas, procurei - no Google encontramos (quase) tudo que vai acontecendo no mundo e arredores e acabei por encontrar a notícia - afinal na tal versão online do Correio da Manhã - e não é sobre 'prestação de serviços de limpeza', mas de professores! E refere ainda a mesma, haver professores alegadamente em regime de tempo parcial a auferir 'vencimentos' de 600 € mensais, só que praticando na maioria dos casos, horários completos!
 
Este é pois o País que forma os nossos jovens recorrendo a 'mão de obra escrava'.
Este é um País que afinal oferece oportunidades aos seus melhores: a sopa dos pobres em troca do prazer que lhes proporciona de poderem ensinar os futuros ministros, presidentes da República, magistrados, traficantes de influências, corruptores activos e passivos, boys destinados a alimentar os gabinetes dos governantes.

Afinal e ao contrário do que escreveu aquele jovem enfermeiro, na carta que dirigiu ao 'supremo magistrado' antes de emigrar para Inglaterra, ninguém é obrigado a partir: 5 € à hora (dependendo do número de horas que consigam acumular num mês de trabalho) ou 600 € mensais, estão já um bom bocado acima do salário mínimo nacional, para além de que temos de começar a pôr de lado alguns péssimos hábitos que fomos adquirindo ao longo de anos e anos de 'vacas gordas': comer todos os dias, chegando às vezes ao cúmulo de fazer 3 refeições, viver numa casa 'normal' quando existem tendas de campismo bem confortáveis, usar transportes de e para o trabalho, quando os médicos nos aconselham a caminhar...

Portugal - os seus governantes - tão criticados nos últimos tempos por nos estarem a roubar e a matar à fome, estão afinal preocupados com o nosso bem estar e com a nossa saúde e sobretudo, apostados em nos ajudarem a alterar estilos de vida profundamente errados.
 
Hoje senti-me feliz por ter sido 'tocado pela luz' e ter percebido isso:

Como sempre, inovamos mais uma vez: reintroduzimos a escravatura, mas damos formação superior aos novos escravos para que possam ensinar de forma baratinha os nossos jovens e futuros esclavagistas!
publicado às 21:41

O SEXO E O REI...

 

http://dn.sapo.pt/storage/ng1293051.jpg?type=big&pos=0

D. DUARTE DE BRAGANÇA - «Em muitos aspectos concordo com José Sócrates»

(...)

Há questões, como o divórcio, que na Monarquia seriam impossíveis!
Hoje em dia é mais fácil despedir a mulher ou o marido do que um funcionário de uma empresa. Ora, a estabilidade de um emprego não é mais importante do que a estabilidade da família.
A questão do aborto também?
A lei do aborto livre é para muitos uma lei que escraviza as mulheres porque hoje ela pode ser obrigada a abortar pelos patrões, amantes e pais. Esta é a situação de muitas mulheres, pois é raro que queiram abortar por vontade própria. Esta lei, que as escraviza, é ultraliberal e ultra capitalista e não percebo como é que a esquerda em Portugal apoia isto.

Considera que o país está mais preocupado com as causas fracturantes do que com a realidade?
Claro! Tornar obrigatório o ensino da educação sexual resume-se a dizer: forniquem à vontade, divirtam-se, façam o que quiserem mas com higiene. Praticamente é só isso, em vez de dar referências éticas e morais em relação ao desenvolvimento de uma sexualidade saudável. Ao mesmo tempo, desencorajam-se as aulas de educação moral e estamos a dizer que a moral não tem importância, que só a sexualidade livre é fundamental para a felicidade dos portugueses.

(...)


 

Estas são apenas algumas das "pérolas" repescadas da entrevista do "nosso" candidato a Rei à Revista  "Notícias Sábado" do DN...

Se tivesse que eleger a mais "preciosa" escolheria obviamente a última, porque estando normalmente habituado a ver os Reis por esse mundo fora portarem-se de forma mais circunspecta e mais comedida na linguagem, achei que o "nosso" desta vez se excedeu.

Talvez que SAR pouco menos habituado a enfrentar os jornalistas do que aquele a quem confessa admirar (José Sócrates) se tenha deixado simplesmente descair, mas que a palavra sexo ganha uma sonoridade algo estranha dita por "Sua Alteza", isso ganha...

Francamente SAR! "Fornicar" (dito) assim em público e sem "bolinha"? Não havia necessidade...

publicado às 17:07

"PAIXÕES"...

O futuro do País está na escola, nas novas gerações, na forma como elas estão (ou não) a ser preparadas para construir esse mesmo futuro.

A escola é (devia ser) um viveiro gigante destinado a preparar as novas "espécies" destinadas a reflorestar a Nação - na política, na Justiça, nos serviços, nas empresas, na plena cidadania - pondo cobro ao preocupante avanço das infestantes que ao longo destes últimos anos, quase se transformaram em espécies dominantes, com o impacto negativo que todos podemos constar na respiração do País e na boa oxigenação do seu sangue.

Mas será que o pretendido viveiro está a funcionar nas devidas condições?

Antes de mais e apesar da apregoada autonomia das escolas, quem é que (de facto) controla o viveiro? Quem é que decide sobre o tipo de floresta a implantar e providencia os fertilizantes a utilizar? Quem é que estabelece as boas práticas no sentido de que as plantas juvenis não saiam do viveiro já contaminadas pelas doenças das espécies que vão substituir? A resposta a estas perguntas é por demais óbvia: "boys, girls & companhia"...

Os últimos exemplos que têm vindo a público - bullyng, consumo de drogas, indisciplina no espaço escolar, comportamentos anti-sociais -  são apenas a parte mais visível do enorme problema em que se transformou esse viveiro

A Escola é (por enquanto) e apesar do inegável empenho da esmagadora maioria dos seus agentes no terreno, o espelho do que se passa na política, nas empresas no aparelho de Estado: Uma selva em potência, onde a gente de boa vontade vai a todo o custo plantando, semeando, renovando - um dia de cada vez - tentando fazer da fraqueza força para ir ganhando algum terreno ao caos...

E o que mais choca, é saber que os actuais viveiristas até são os herdeiros daqueles outros para quem esta frente de trabalho alegadamente constituía uma paixão... 

Como nas outras paixões, também esta exigiria maior empenho dos intervenientes activos, sendo que o desinteresse do "fogoso" amante fez esfriar - quase extinguir - o fogo inicial, deixando a amada no estado em que se encontra.

Ou partem para uma urgente e reparadora "terapia conjugal", ou a relação deixa mesmo de ter futuro - para mal de todos nós!

 

 

 

publicado às 02:35

ABRANDAMENTO TEMPORÁRIO...

Más notícias para os muitos amigos - Alfenenses Valonguenses e não só - que passam por este espaço e me privilegiam com o favor de darem alguma importância ao que vou escrevendo e por oposição, "música para os ouvidos" dos outros - dos que prefeririam que eu me "eclipsasse":

Decidi retomar a minha antiga actividade de formador no âmbito do IEFP e que tinha interrompido faz imenso tempo. Em consequência dessa interrupção, tenho agora de renovar o CAP, situação que me obriga a frequentar uma acção de formação com alguma exigência, quer em termos de tempo, dada a significativa carga horária, quer na atenção que vou ter de dedicar à respectiva matéria curricular.

Não estranhem por isso os amigos - nem embandeirem em arco os outros - porque este abrandamento significa apenas isso: abrandamento e não desistência.

O ritmo normal seguirá "dentro de momentos" - tão breves quanto me seja possível.

publicado às 13:44

ESTUDANTE SOFRE!

Trabalho de equipa é mesmo assim! Pareceu-me no entanto que alguns dos elementos se sentiram mais seguros "com os pés em terra"...Vertigens? Isso cura-se (lol)

Parabéns: À minha sobrinha linda, Claudita e através dela, a toda a equipa de Design Gráfico (e ao Prof Cláudio Ferreira e ao IPCA)  "Ganda malucos"! (lol)

publicado às 15:06

MINISTRA "ARRASA" O PS...

Magalhães
Ministra lamenta desrespeito do PS pela imagem de alunos
A ministra da Educação lamentou hoje que o direito à protecção da imagem de alunos não tenha sido respeitado num tempo de antena do PS e excluiu qualquer ligação entre o seu Ministério e a gravação realizada- SOL hoje

Estou cada vez mais "baralhado"...

Mas a Dª. Maria de Lurdes não é do PS? Ou será que se passou de "mala e cuia" para o PS/Manuel Alegre?

Estava já tão habituado a vê-la sempre colada ao Chefe, que se se der o caso de ficarem agora de "candeias às avessas" por causa destes "fait divers" vai-me custar imenso...

Agora falando sério, a gente sabe que entre eles (ministra e primeiro) continua tudo bem, o mesmo se passando entre ela e o PS/Sócrates e que tudo o que é debitado para a comunicação social, é pura encenação, o que não deixa de ser lamentável, tendo em conta a gravidade do erro cometido - que aliás, se levado até às últimas consequências pelos pais das crianças, até poderia configurar um crime grave de sequestro de personalidade: Como é que se sentirão algumas daquelas cabecitas, ao verem-se como actores de um filme de mau gosto e  "ao serviço" de um Partido com o qual os seus pais não têm nada a ver?

 

publicado às 19:32

Mais sobre mim

imagem de perfil

Posts mais comentados

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D