Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE - 3.º ANIVERSÁRIO...

Três anos, 243 artigos, 143 comentários, algumas dezenas de milhar de visitas (das quais contabilizei apenas as efectuadas a partir de 8 de Julho de 2008)
Em 17 de Abril de 2006, eram 10:32:30 horas, nasceu este desafio - desafio, antes de mais, a mim próprio e à minha capacidade de resistência para me manter “vivo”, que nesta imensa “selva blogosféricanem todos sobrevivem o tempo todo - e ao longo destes três anos, tenho encontrado pelo caminho inúmeras “ossadas” de muitos que não conseguiram sobreviver…
Como indica a tabuleta junto à entrada, neste espaço “ o limite não limita, apenas delimita” e talvez por isso mesmo – porque não é claustrofóbico nem limitativo – e ainda porque me obrigo a algumas desmatagens periódicas, visando mantê-lo transitável, tem havido imensa gente que por aqui tem passado, gostado (deixando alguns comentários que indiciam isso mesmo) e voltado, como indicam os “radares” – que apenas instalei em 8 de Julho de 2008 http://extremetracking.com (os números apenas se reportam a esse período…)
Por outro lado, conforme se pode constatar no quadro seguinte - e aqui confesso que eu próprio me surpreendi um pouco - “o registo de entradas” permite constatar, que para além da gente da aldeia próxima, outros caminheiros (alguns falando línguas estranhas) têm franqueado os portões…
E porque a melhor forma de “fidelizarmos” as visitas é prodigalizar-lhes mais do que uma opção: uns preferirão as caminhadas mais longas em espaço aberto, como este pretende ser, outros gostarão mais de um percurso mais bucólico, quiçá molhar os pés na água fresca de um gorgolejante córrego, ouvindo em fundo o canto de mil pássaros invisíveis quebrando o silêncio dos seus próprios pensamentos…
Para estes últimos, cujos gostos eu partilho tantas e tantas vezes, decidi arrumar ao fundo da “quinta” (lá onde o córrego gorgoleja, os pássaros chilreiam sem cessar e apesar disso conseguimos “escutar” o silêncio e ouvir os nossos pensamentos) um espaço mais intimista, com uma atmosfera mais controlada, para onde transplantei as minhas florinhas mais delicadas.
Foi assim que em 24 de Fevereiro de 2009, eram 14:43:58 horas, nasceu “Terra Molhada”- um cantinho de poesia - onde há (apenas) a PROMESSA DE FRUTOS MADUROS, DE ABUNDANTES COLHEITAS... BÊNÇÃO DAS PRIMEIRAS CHUVAS DE VERÃO... DOCE PERFUME DE TERRA MOLHADA...
É lá que às vezes me refugio (ou escondo) mais de mim próprio que dos outros e é de lá que regresso sempre renitente – que a “selva cá de fora” está cada vez menos apelativa…  
E pronto, concluo esta espécie de “relatório de actividade e contas do triénio”, com uma promessa que – ao contrário do primeiro-ministro – desejo mesmo cumprir: Para o ano, aqui voltarei para um novo balanço - escrito (e é outra promessa que faço) em português de Portugal, isto é, português despoluído das inquinações do acordo ortográfico – sobre o qual em devida altura, manifestei a minha discordância, assinando a petição online.
Obrigado a todos pela vossa preferência e já agora se me permitem, parabéns a… mim!
 

 

publicado às 00:01

BOA PÁSCOA...

Sem a carga religiosa do termo - que as religiões às vezes dividem mais do que unem... - sem consumismo exacerbado, sem notícias "insultuosas" em tempo de crise, de dificuldades e de privações para a maioria das pessoas, dando conta dos hotéis e estâncias de turismo a 100% da sua capacidade, sem isso tudo, mas apesar de tudo, uma boa Páscoa para todos !

Ah! E nada de comerem o coelhinho - como o outro que comeu a galinha dos ovos de oiro!


PS: Na minha terra, chamavam-se "páscoas" ou "primaveras" aquelas florinhas que se viam nas bermas das estradas ou então nalgumas sebes das casas à beira dos caminhos...

publicado às 16:19

"CAUTELA COM OS AMORES..." -II

 

 

De entre os muitos deslizes absolutamente desnecessários cometidos por D. José Policarpo na famosa tertúlia dos amores entre católicas e muçulmanos, destaque também para o empenho pessoal que sua eminência fez questão de referir no apoio que tem dado a muitos homossexuais para os ajudar "a superar a sua homossexualidade"...

(Achei absolutamente deliciosa a pergunta - falsamente ingénua - da Fátima Campos Ferreira: "...mas isso trata-se?").

Do mal o menos: enquanto for a Igreja - neste caso, D. José Policarpo - a fazê-lo, não virá grande mal ao mundo. Claro está, partindo do pressuposto de que a terapia aplicada se situe apenas ao nível do aconselhamento e do apoio espiritual ao doente que obviamente deverá ter solicitado ou aceitado essa ajuda...

É que já não é a primeira vez que ouvimos falar na homossexualidade como uma doença e daí ao tratamento compulsivo...


PS: Está mais que provado que sua eminência não se encaixa bem no alinhamento clássico das tertúlias: -São demasiado informais para o seu perfil e os jornalistas estão sempre ávidos de uma boa fofoca... Não se pode esquecer que ao contrário do que acontecia com o seu antecessor Cardeal Cerejeira, que tinha sempre a "peneira" da censura para filtrar alguma inconveniência agora é tudo sem rede...

publicado às 11:24

...E NÃO NOS DEIXEIS CAIR EM TENTAÇÃO...

E o Diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-lhe num momento de tempo todos os reinos do

mundo. E disse-lhe o Diabo:

– Dar-te-ei todo este poder e a sua glória, porque a mim me foi entregue e dou-o a quem quero;

portanto, se tu me adorares, tudo será teu...

(Lucas, cap. V, vs. 5-8)


Olhei a minha terra, até perder de vista e ao contemplar a maravilha da paisagem que me entrou pelos olhos dentro, numa estranha associação de ideias, ocorreu-me a passagem que acabei de transcrever...

É claro que - ao contrário de  Jesus Cristo a quem o texto se refere - eu adorei-a... (aliás, adoro-a e vou continuar a adorá-la por todo o tempo do mundo e ela sabe isso, mas nem ela é comparável ao "diabo"- a não ser no poder de sedução -  nem eu quereria  o casario que não me poderia dar, em troca da minha adoração...)

(Foto tirada hoje com a ajuda da minha "companheira" CANON que às vezes levo a tiracolo nos meus passeios:vista de Alfena, a partir da parte alta...) 

 

publicado às 21:57

PORQUE HOJE É SÁBADO, CARLA E CLÁUDIO...

Mas não um Sábado qualquer! É antes, o Sábado de todos os Sábados, o vosso Sábado!

Fim e princípio simultaneamente: fim de uma caminhada a solo embora já lado a lado, onde cada um de vocês aproveitou para ir lendo o “manual de instruções” do outro – acredito até, que esse estudo tenha incluído de parte a parte um cuidadoso “trabalho de campo”!

Hoje ides iniciar uma nova etapa:  a caminhada comum, onde  a divisão das dificuldades (mas também dos êxitos) é feita por 2.

Tal como na matemática, o resultado final será bem diferente: “dividir” por 1 ou por 2 é como todos sabem, substancialmente diferente...

(Excepção para a “divisão” das vossas alegrias e  dos vossos êxitos, onde este princípio básico da matemática  será completamente subvertido a vosso favor: ao “dividirdes” obtereis sempre um resultado igual ao da multiplicação!)

Por isso, nós que vos amamos nos sentimos também profundamente felizes ao partilhar este dia convosco.  E fazendo-o transformamo-nos em exemplos vivos da tal “subversão” matemática: A vossa alegria – que generosamente dividis connosco – não é maior que aquela que sentimos por a partilhar!

Que este dia feliz que hoje viveis, seja apenas um entre os muitos mil que vos estão reservados!


(Escrito no dia em que a minha querida sobrinha Carla se casa com o - a partir de hoje - querido sobrinho Cláudio. Porque também eu quero “dividir” com todo o mundo a alegria que sinto...)


publicado às 00:06

VERDADE OU INCONSEQUÊNCIA

Há demasiado ruído à minha volta: Há vozes que fingem dizer algo, mas apenas conseguem falar... Há outras vozes que dizem algo, conseguem falar, mas não conseguem fazer -se ouvir - no empastelamento provocado pelos que fingem dizer algo  e também pelos que apenas tentam fazer com que ninguém diga nada!.. E há ainda pessoas em bicos de pés imitando pessoas grandes, sem conseguir no entanto,  ir além da mediania - e ficam contentes se olham à volta e vêm algum anão... - São apenas grandes entre os pequenos!.. E nesta confusão de ruídos ruidosos, de vozes inaudíveis, de sons  empastelados, de pessoas em em bicos de pés (fingindo ser grandes) e de pessoas naturalmente pequenas (sem o tentarem esconder) paira esvoaçando qual manto diáfano, a VERDADE de que todos dizem ser pais,  mas que está para além deles, acima deles e que na sua limpidez, parece querer desmentir categoricamente a paternidade comprometedora que invocam!

Porque a VERDADE às vezes é apenas a soma de muitas verdades por exclusão das várias inverdades! Porque a VERDADE não é ministrada como qualquer sacramento, não se aprende nos livros, nem advém de nenhum direito natural (como os títulos da nobreza)!  Além do mais, a VERDADE (ao contrário dos dogmas) só o é, se for EXPLICÁVEL!

publicado às 22:20

A "BURKA" DA MULHER OCIDENTAL...

Por mais que nós homens, apregoemos os valores da Liberdade e da Igualdade - na culta e evoluída Sociedade Ocidental - por mais alto que gritemos que somos contra tudo que signifique descriminação e marginalização das mulheres, por mais esforços que façamos para aproveitar os "tempos de antena" disponíveis - quase sempre controlados  por homens - para criticar os costumes retrógrados, machistas e às vezes bárbaros de outras sociedades, a verdade é que continuamos a ficar muito mal na "fotografia"...

Para tentar concretizar a minha afirmação, proponho um pequeno exercício:

 


1- PERANTE DEUS:

a) Quem perdoa os pecados?

b) Quem preside em nome de Deus à união entre o homem e a mulher?

c) quem providencia aos os últimos Sacramentos na hora da morte?

 

 


2- PERANTE A FAMÍLIA:

a) Quem é o titular da conta da água, da luz, do telefone, lá em casa?

b) A quem cabe a última palavra nos grandes (e às vezes também nos pequenos...) investimento familiares?

c) Quem é, regra geral, o primeiro titular da conta bancária da família?

 

 


3. PERANTE O POVO:

a) Quem constitui a maioria dos nossos Governantes,  Deputados e outros "mandantes"?

b) Quem é o Presidente da República?

c) Quem constitui a maioria dos nossos distintos Autarcas?

 

 


4. PERANTE A LEI E A ORDEM

a) Quem constitui a maioria dos nosso Juízes e Magistrados ?

b) Quem constitui a maioria dos nossos polícias, militares e equiparados?

c) Por  quem é composta maioritariamente a hierarquia destas forças?

 

 


 Terminado o exercício, deixem-me arriscar uma resposta: Aposto que o resultado deu "homem"...

POIS...

E quando falamos de violência doméstica, quem é na esmagadora maioria o autor e por oposição, a vítima?

E a mesma questão, para os casos de assédio sexual no emprego...

E quando nasce um filho, quem passa menos noites em claro, quem raramente se levanta ("vai lá tu...eu 'tou a dormir")?

E quando ao longo da vida, esse filho fica doente, ou precisa de acompanhamento de proximidade quem é que regra geral não tem hipóteses de faltar ao trabalho?

E querem mais exemplos?

Quando tiverem que preencher um formulário oficial num qualquer serviço público, e chegarem ao espaço onde está escrito filiação experimentem pôr em primeiro lugar o nome da mãe...

Há duas saídas possíveis:

Hipótese 1- (Funcionário prestável e simpático): "Não faz mal, coloque duas setinhas a indicar a troca..."

Hipótese  2 e a mais provável - (Funcionário burocrata e casmurro): "Desculpe mas não aceitamos emendas ou rasuras! Vai ter que preencher outro impresso..."

POIS...

 

 

Se considerarmos a burka da mulher nas sociedades islâmicas como um símbolo da sua submissão ao homem, então a burka da mulher ocidental não é um símbolo,  é o próprio homem!


PS:  Como homem, gostaria de me ver a curto prazo, numa fotografia bem diferente  da actual.

E há tantos retoques para fazer...

 

publicado às 10:57

OS VIOLADORES DE CONSCIÊNCIAS...

CENA I

Por alguns momentos, interrompi a minha caminhada terapêutica para presenciar o mais elementar acto de criar vida, milhões de milhões de vezes repetido ao longo dos séculos:

homem-arado, que em investidas sucessivas  e consentidas, ia rasgando a terra -  ainda e apenas os preliminares do supremo acto de fecundar, que virá a seguir.

CENA II

E veio a seguir o homem-semeador, abrir sulcos sucessivos e simétricos, onde lançava as sementes precursoras de novas vidas, propiciadoras de uma desejada - e às vezes conseguida - abundância capaz de alimentar, ou  simplesmente mitigar a fome de  todos os que , não tendo terra nem arado nem sementes, estarão sempre inteiramente dependentes deste processo.

E durante os breves momentos em que fiquei a observar este processo milenar e aparentemente tão básico, pareceu-me - pura ilusão seguramente - ouvir os suspiros orgâsmicos da terra lavrada, como que a apregoar o seu orgulho-prazer por se sentir parte activa nesse acto tão nobre de gerar vida

CENA III

Algures, quiçá a poucos metros daquele lugar,  fruto da minha imaginação - ou da notícia escutada num dos últimos noticiários? - visualizo um outro acto criador (no pior sentido do termo)uma mulher amordaçada, manietada, imobilizada - por cordas bem atadas , pela bebida ou pela droga ingeridas contra a sua vontade, ou simplesmente pelo desconhecimento ou  falta de informação, que a sociedade criminosamente lhe sonegou - vai sendo penetrada-trespassada pela dor-semente infligida pelo homem-mau que nunca desejou, a que tentou resistir, que tentou denunciar com os seus gritos não escutados - do corpo e da alma...

E porque vazio de prazer, porque recusado, porque não consentido ou simplesmente não desejado, tal acto não passou do primeiro de muitos sofrimentos que a vítima terá que carregar ao longo da vida em consequência do mesmo.

E por isso, não houve aurora boreal nem suspiros orgâsmicos , nem a terra tremeu enquanto tudo se passava... 

 

 

 

 

CENA IV

E veio depois o homem-legislador-confessor-amigo , às vezes amigo-confessor do próprio homem-mau, por vezes ainda, em corpo de mulher, mas com ideias de homem-mau, dizer-lhe que o que ficou dentro dela, é uma vida, quando todo o seu ser lhe grita que é lixo, porcaria - ou na versão mais soft da sua tragédia - algo que resultou de um momento que não podia ter acontecido e para o qual não estava minimamente preparada. Em qualquer dos casos, uma gravidez incompleta, porque o seu coração não foi fecundado, logo, se incompleta não pode ser mantida!

E neste coro de conselhos-ordens, arrogam-se o papel de Deus, esquecendo-se que Ele deu à mulher (e ao homem) uma consciência e uma alma, que são emanação da própria Natureza Divina e lhes facultou por outro lado o direito inalienável ao livre-arbítrio .

E são os mesmos homens que falando em nome de Deus, lhe roubaram  o seu lugar junto Dele ao longo dos séculos, impedindo-a de pregar em Seu nome, de consagrar em Seu nome o Pão que comem e lhe dão a comer,  que continuam a negar-lhe o direito a usar também o lado de dentro do confessionário...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

MORAL DA HISTÓRIA:

A NENHUM HOMEM foi concedido o poder de ser o guardião  do bem e do mal! NENHUM HOMEM  possui o exclusivo da verdade! NENHUM HOMEM  é dono da tua consciência  - essa é uma parte de ti, que JAMAIS alguém conseguirá violar!  Porque, MULHER é aí que tudo acontece e é aí que TUDO tem de ser decidido!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado às 10:08

QUE FUTURO?

Os jovens, são o nosso maior investimento para o futuro...

Apesar de ser uma de muitas frases feitas sobre a importância da nossa juventude, nem por isso deixa de fazer sentido.

Só que, como em todos os investimentos, nem tudo são bons negócios, não por culpa do capital investido, que esse, intrinsecamente é muito semelhante, mas sobretudo porque a habilidade dos investidores para obter bons resultados, deixa em muitos casos - diria que em casos demais... - muito a desejar!

E isto vale para todas as classes de  investidores, desde logo os políticos que estabelecem a maior parte das regras do investimento, depois os pais e educadores, que manipulam directamente os valores a investir, passando pelos fazedores de notícias que dissertam, opinam, informam (e às vezes fazem o contrário de tudo isto...) sobre a evolução do investimento...

Propositadamente, não incluo no êxito ou inêxito dos resultados obtidos, nenhuma Entidade Superior, ou Deus se quisermos, porque deles obtivemos o direito ao livre arbítrio, o que desde logo nos retira qualquer hipótese de nos resguardarmos em caso de insucesso!

Quanto às regras (e aos políticos) vê-se à vista desarmada, que nem todos os percursos para que nos remetem, são autoestradas , ou sequer vias rápidas e mesmo os muitos caminhos que nos indicam, estão por incompetência, desleixo ou pura maldade, pejados de escolhos - e se tropeçamos, a culpa é sempre nossa!

Relativamente aos que manipulam directamente o investimento, esses alegam quase sempre, quando o resultado não é o melhor, que a culpa é  dos outros - sejam eles a rádio a televisão ou os jornais, seja em última instância, a tal Entidade Superior!

E é deste ciclo vicioso em que todos tentam sacudir a água do capote - o que seguramente não conseguem, de tão encharcado que está - que qual pião das nicas ,  emerge a parte mais válida do negócio a JUVENTUDE!  -  O FUTURO

publicado às 21:37

A MAGIA MATINAL

Esta semana tenho-me levantado cedo...

Finalmente rendi-me à magia de um começo de dia bem mais matinal do que vinha sendo hábito nos últimos tempos...

Convencido que estava de que o privilégio de estar aposentado consistia fundamentalmente em dispor do meu tempo ainda que da forma mais errada possível - demasiada parceria com a minha mesa de trabalho e respectivo computador que me  acompanhavam noite adentro (demasiado adentro, convenhamos...)  o que inevitavelmente resultava num despertar já muito próximo do meio da manhã - resolvi abdicar de uma vez por todas deste "privilégio" e começar a viver como uma grande parte dos seres que habitam este Planeta, isto é, de manhãzinha !

Para os que ainda persistam no mesmo erro que eu vinha cometendo, digo-lhes que vale a pena mudar: os sons são diferentes, a luminosidade do ar tem outra magia, o próprio canto dos pássaros tem outra sonoridade...

Por outro lado, as pessoas com quem nos cruzamos num início de manhã, parecem-nos ter um objectivo concreto a atingir e por isso não deambulam, caminham e se param para tomar um café, não ocupam uma mesa, preferem o balcão...

E depois, há os cheiros que pairam no ar, a leve humidade que transita da noite que findou, a brisa que brinca com as copas das árvores e com os cabelos das mulheres - umas e outras aceitam-na sem qualquer hostilidade e como uma carícia ainda não contaminada pela labuta do dia que vai começar...

É esta magia e este especial  encanto que eu recomendo vivamente a todos os sedentários - assim tenham hipótese de optar!

publicado às 14:19

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D