Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

AS 'PRIMÁRIAS' DE QUE O PAÍS FALA E OS TRÊS 'PS's'...

 

Eu bem não queria falar do PS! - aliás, corrijo a forma singular do acrónimo, porque a bem dizer existem três PS's...

 

E passo a explicar, não sem antes colocar pela enésima vez a minha 'declaração de interesses': não sou militante, mas apoiei o PS na qualidade de independente nas últimas eleições autárquicas, no meu Concelho que é Valongo e sou deputado municipal - eleito pelo PS, mas de cujo grupo municipal me desvinculei há pouco por razões que não vêm agora ao caso. Não vêm porque já vieram... 

 

Existem os 'dois PS's - não não me enganei - institucionais de António José José Seguro e António Costa que eu respeito - da mesma forma que respeito institucionalmente todos os partidos de matriz democrática, mesmo que possa não concordar com as ideias que defendem - e depois existe um terceiro PS feito de rapazitos - não, não me refiro ´JOTAS', que desses eu gosto e respeito - alguns já entradotes e até com barbas.

 

Se eu respeito de igual modo os 'dois' primeiros, no que toca a este último já não tenho pachorra!

Não sei se é defeito meu - e até hesitei em fazer este reparo - mas alguns dos comentários mais lamentáveis em torno da disputa Seguro/Costa em que 'tropecei' por aqui no Facebook, têm sido produzidos por alguns recentes companheiros de percurso na última campanha autárquica em Valongo e 'que por acaso' são apoiantes de Seguro.

 

Há pouco, deixei um comentário numa publicação, comentário esse que não era dirigido especificamente a ninguém, porque vinha na sequência de comentários anteriores e que dizia mais ou menos isto: "com 'inimigos' desta qualidade o PSD bem pode manter-se descansado mais um tempito lá pelo Pontal".

 

Um dos tais rapazitos - volto a lembrar que não me refiro aos 'JOTAS'! - não gostou e vai daí, ele que ainda terminou a escola há pouco, sacou da mochila o lápis azul e vai de se armar em censor, ele que nesse tempo  julgo que nem de cueiros andaria!

 

Que fique claro: Eu ainda não decidi se vou participar - como 'simpatizante' - nas primárias do PS e muito menos ainda, qual dos dois candidatos apoiaria se me viesse a decidir.

 

'Parêntesis':

(Não sei porquê, mas há 'um-desabafo-da-minha-avozinha-que-Deus tem' que nos últimos tempos não me sai da cabeça e que ela deixava escapar quando tinha que decidir sobre duas coisas de que não gostava: "(...) que venha o diabo e escolha").

 

Mas já agora, meu caro António José Seguro, se finalmente me decidir a votar nas primárias do teu partido e me fugir a cruzinha para 'aquele-de-quem-não-se-deve-dizer-o-nome', não será apenas por causa do rapazito de hoje no Facebook.

 

'Não-será-só-mas-também'!

 

Já agora, coloco aqui alguns recortes da 'história-do-lápis-azul-do-Facebook':


 

 

 

publicado às 18:38

CORRUPÇÃO COM 'SABOR' A TEJO...

Dada a relevância do assunto, reproduzo aqui o artigo publicado no Blog Estado Sentido:


Tem a ver com a Câmara de Lisboa, uma autarquia contraditória, onde tanto podemos encontrar alguns (bons) exemplos de transparência - Lisboa Participa é aparentemente um deles - como esta aberração de que o 'Estado Sentido' nos dá conta.

António Costa já foi apontado por alguns como um possível bom primeiro ministro de Portugal.

Caso para dizer: ainda bem que essa possibilidade não se concretizou!


Uma nota final:


O artigo refere-se a Lisboa, mas com algumas (muito) ligeiras alterações, serviria que nem uma luva para Valongo do nosso descontentamento, bem como para Alfena do nosso inconformismo.


 

Há muito calor na CML (e corrupção aparentemente)

por José Maria Barcia, em 10.07.13

A Comissão de Acesso aos Documentos Administrativos já disse que sim. Dois acórdãos de tribunais confirmaram a decisão. Mas António Costa acha que não deve tornar público um relatório sobre as contas da autarquia de Lisboa e recorreu para o Tribunal Constitucional, noticia o jornal Público.


Para o responsável do município de Lisboa, a obrigatoriedade de divulgar o relatório "abre caminho a que todas as decisões políticas e documentos que as corporizem fiquem sujeitas ao escrutínio público e, eventualmente, judicial, o que irá conduzir, inevitavelmente, à diminuição/perda da autonomia que deve caracterizar o exercício do poder político".

 

Em causa está um relatório intitulado "Obras Públicas Municipais - Sobre o Estado da Arte" da autoria de Fernando Nunes da Silva, vereador do movimento Cidadãos por Lisboa. Este relatório, conta o Público, apontava graves falhas às práticas de contratação de empreitadas em vigor nos serviços da câmara, chamando a atenção para a grande quantidade de ajustes diretos e a "vulgarização dos trabalhos a mais".

Público terá pedido este relatório em Outubro de 2011 e, perante a recusa do município, fez queixa à Comissão de Acesso aos Documentos Administrativos, que deu razão ao jornal. Posteriormente, o Tribunal Adminsitrativo do Círculo de Lisboa intimou a CML a entregar este relatório num prazo de dez dias, decisão de que a câmara recorreu. Já em Janeiro deste ano, os juízes desembargadores do Tribunal Central Administrativo Sul negaram provimento ao recurso. Inconformado com a decisão de todos estes órgãos sempre no mesmo sentido, António Costa decidiu recorrer para o Tribunal Constitucional.

 

 

Comentário 1: Um Presidente de uma Camara Municipal não gosta de ter o seu trabalho escrutinado? Então vá para a rua.


Comentário 2: O relatório sobre as Obras Públicas Municipais refere falhas nas práticas de contratação e ajustes directos. Por outras palavras, o socialista António Costa anda a distribuir riqueza. Aos empreitores. Mas com dinheiro que não é dele. A isto chama-se corrupção. 


Comentário 3: Esta polémica vem desde 2011. Com recursos e advogados e quem sabe nunca se provará que António Costa agiu premeditadamente de forma pouco ética, usando e abusando do seu lugar de Presidente da CML.


Comentário 4: Numa altura de crise política, como é que António Costa é capaz de esconder (é o que anda a fazer desde 2011) dados da autarquia de Lisboa? Se isto acontece em Lisboa, o que fará António Costa quando for secretário-geral do PS e, Deus nos livre, Primeiro-Ministro?

 

P.s. As obras em Lisboa são, muitas vezes inexplicáveis. Este relatório deverá explicar a inexplicabilidade de António Costa, o socialista que esconde documentos.

publicado às 00:34

DESCULPAS DE MAU PERDEDOR (OU MAU PAGADOR)?

 

 

Com a devida vénia ao JN reproduzo abaixo a notícia hoje publicada e assinada pelas jornalistas Carla Sofia Luz e Dora Mota:


 

 

Título: 115 militantes deixam PS/Valongo em rutura com líderData: 28-02-2013
Fonte: Jornal NotíciasPáginas: 16 
  C/ Foto | PB
 

115 militantes deixam PS/Valongo em rutura com líder  
 
VALONGO  
 
HÁ 115 MILITANTES, incluindo três deputados municipais, de saída do PS de Valongo. A debandada em rutura com o líder da Concelhia e candidato socialista à presidência da Câmara local aconteceu nesta semana. A gota de água foi o convite de José Manuel Ribeiro ao movimento de cidadãos Coragem de Mudar (terceira força política no concelho) para firmar uma "coligação" nas próximas eleições autárquicas. A oferta de lugares elegíveis na lista dos socialistas à Câmara e à Assembleia Municipal de Valongo desagradou a mais de uma centena de militantes, que deixaram duras críticas a José Manuel Ribeiro num comunicado interno e já fizeram chegar o pedido de desvinculação à sede nacional do PS. A Concelhia de Valongo possui cerca de 1500 militantes.  
 
As deputadas Raquel Campos e Cândida Bessa (mulher do vereador Afonso Lobão, que se desvinculou do PS há um ano também por litígios com o líder do PS/Valongo) vão ocupar o lugar na bancada da Assembleia Municipal de hoje na condição de independentes. Também Sérgio Bessa, segundo deputado suplente, figura na lista dos 115 socialistas decididos a abandonar o partido.  
 
Os militantes condenam o "clima de sectarismo", imposto por José Manuel Ribeiro, "que, em vez de unir, está a dividir o partido local". No comunicado interno, apontam para a imaturidade e a falta de experiência e sensatez do candidato socialista, do qual não conhecem uma ideia mobilizadora para o concelho. "Desvaloriza os quadros do PS de Valongo, comprando apoios com oferta de lugares. Sendo assim, não nos revemos neste candidato e na prática deste partido", acusam ainda.  
 
Ao JN, José Manuel Ribeiro garantiu que não há problemas no PS/Valongo e preferiu assinalar o desafio eleitoral que se aproxima: "Estou concentrado na campanha eleitoral e nos problemas de quase 10 mil desempregados do concelho e das famílias que passam dificuldades que têm uma Câmara mal governada há 20 anos".  
Carla Sofia Luz e Dora Mota  
 
DEPUTADOS NÃO DEIXAM ASSEMBLEIA .  
 
Cândida Bessa e Raquel Campos saem do PS, mas não deixarão de ser deputadas municipais. "Não perdemos os direitos de cidadania. Fomos eleitas e vamos continuar a participar", sublinha Cândida Bessa. que passará a desempenhar o cargo como independente.  
 
"Estou concentrado nos problemas dos quase 10 mil desempregados que têm uma câmara mal governada há 20 anos". José Manuel Ribeiro Líder do PS/valongo

 


Não gosto de meter foice em seara alheia - nem os socialistas de Valongo precisam ou aceitariam que o fizesse. Porém, como a Coragem de Mudar aparece de certa forma como 'alibi' para a saída desses 115 socialistas(?), vamos tentar colocar 'os pontos nos ii'!

Aquilo de que esta notícia trata, não passa - reduzida à sua verdadeira dimensão - de um claríssimo caso de 'mau perder' por parte de Afonso Lobão e para que se perceba do que falo, sempre é bom que se conheçam todas as variáveis do 'problema'. Aqui e para que fique registado,  Afonso Lobão está a esconder deliberadamente a mais relevante de todas:

Na sua legítima tentativa de ganhar a concelhia do seu partido, ele não hesitou no entanto em recorrer a métodos criticáveis sobre os quais já aqui falei na altura, desde o arrebanhar de militantes de outros concelhos, apresentando moradas que não correspondiam às verdadeiras, com quotas pagas por atacado e outras irregularidades similares, comportamento que terá dado origem a um processo interno cujo actual estado desconheço como é óbvio.


Mas Afonso Lobão fez coisas igualmente criticáveis sob o ponto de vista ético - e não sei se estatutário: Em Alfena - e provavelmente não só - entregou listas de socialistas inactivos a pessoas que não tinham nem têm nada a ver com o PS, que fizeram e continuam a fazer muito mal a Alfena, que se envolveram e continuam envolvidos em negociatas ilícitas, para que tentassem com a sua influência, ganhá-los para o apoio à sua Lista de candidatura. 

Perdeu mesmo assim, mas nem por isso aceitou democraticamente a derrota e por isso desvinculou-se já há algum tempo do PS. É um direito seu mas ao qual, como qualquer pessoa de bem faria, ainda por cima com o grau de responsabilidade que detinha como eleito pelo PS, deveria corresponder a devolução ao Partido, do seu lugar de Vereador - porque sendo o voto secreto, ele não pode ter a certeza que os votos que o elegeram estejam todos com ele em relação ao seu mau perder!

Nem o fez ele, nem o fazem os deputados municipais de que a notícia fala e que tomaram agora idêntica atitude e isso é igualmente criticável sob o ponto de vista ético.


E já que a notícia fala na Coragem de Mudar, antes de passar à questão de fundo, refiro aqui a atitude do nosso deputado Eng.º Bandeira que considerando em determinado momento que na Assembleia Municipal o nosso grupo não estaria de corpo inteiro a servir os interesses dos Valonguenses e sobretudo daqueles que votaram em nós e de acordo com os princípios que ele defende, decidiu apresentar a sua demissão - porém, com o cargo 'anexo' para ser ocupado pelo suplente seguinte!


Agora a questão do 'acordo entre o PS e a Coragem de Mudar' envolvendo lugares elegíveis:


Esta é uma completa mistificação, partilhada aliás e em abono da verdade, entre Afonso Lobão e elementos da Coragem de Mudar entre os quais se contam os dois vereadores eleitos pela nossa Associação!


Tivemos um único encontro - a Direcção da CM e a Comissão concelhia do PS - e em momento algum se falou em lugares. Aliás e como não poderia deixar de ser, a única coisa que prometemos é que iríamos ouvir os nossos eleitos - o que já fizemos - e depois os nossos associados - o que vai ocorrer no próximo dia 16 de Março.

Se a opinião for a de juntarmos forças para pôr cobro a 18 anos de desvarios em Valongo, os quais e para os mais distraídos, não terminaram com a saída de Fernando Melo, pois continuam bem visíveis no terreno,  teremos mais possibilidades de ajudar os valonguenses a fazer um apelo a um suplemento energético de coragem para mudar o paradigma da governação do nosso Concelho - onde impera ainda e por enquanto, uma claríssima sequela que eu já designei por 'reinado de Fernando Melo II'.

Se pelo contrário, for outra a opção, ela não será nunca - disso temos a certeza - a de apoiar ou pactuar com o desvario! Não está no nosso 'ADN' por muito que isso pudesse agradar a alguns - e também não somos do tipo de 'pegar de enxerto'!


É este o ponto da situação no que à Coragem de Mudar diz respeito e embora a título individual - mas com a certeza de que sou acompanhado pela totalidade da Direcção - não posso aceitar que me atribuam processos de intenção ou de reserva mental, capaz de andar com um acordo no bolso e a dizer aos nossos associados que não está nada decidido.


Encontrem os 115 militantes(?)' voadores' que agora anunciam o 'abandono' do PS com base nesta falácia outro álibi, porque este não cola! E deem-se por satisfeitos alguns, por o seu caso não ter assumido contornos de caso de polícia que era o que mereciam que acontecesse - Paredes é ali ao lado, mas não pertence a Valongo!


Apenas um apontamento final bastante curioso: Toda esta encenação ocorre no momento em que Marco António Costa promove Afonso Lobão a Director, na estrutura do Centro Distrital do Porto da Segurança Social.

(Parêntesis para referir que talvez isso o ajude a regularizar uma dívida de alguns milhares de euros ao Partido, ainda da última campanha eleitoral e da qual ouvi falar há já bastante tempo atrás, mas que julgo que ainda se mantém. Fechar parêntesis) - recorte a seguir:


Há quem acredite em bruxas. Eu claramente não acredito, mas os espanhóis têm uma frase  engraçada que contraria as minhas convicções: '(...)pero que las hay las hay'! 

publicado às 15:21

ALFENA (E VALONGO) MERECEM COVERGÊNCIA DE ESFORÇOS!

Declaração prévia de interesses: Não sou militante do PS. Aliás não sou neste momento, militante de nenhum Partido político. Pertenço mesmo à Direcção de uma Associação (Coragem de Mudar) que foi adversária daquele Partido nas últimas autárquicas, numa situação de ruptura algo dolorosa, da maioria dos seus fundadores e de grande parte dos seus apoiantes, muitos expulsos exactamente por esse facto  - mas tenho de reconhecer que o Partido Socialista de Alfena demonstrou hoje que está diferente que deu um passo em frente - o futuro é sempre para a frente - que rejuvenesceu, que se renovou estruturalmente e fez, na animada festa-convívio que levou a efeito no Centro Cultural, uma clara e inequívoca 'prova de vida' e tudo isto exactamente num dia em que outro pólo de interesses, este não partidário, mas igualmente mobilizador - o Tuning - realizava a sua festa a sul da nossa cidade.


E pormenor interessante num Partido político, é o facto de ter conseguido levar para aquele espaço muitos alfenenses que não são militantes, ou até o são de outros Partidos, o que não deixa de ser especialmente relevante. E não me venham dizer que isso se ficou a dever à bifana, ao porco no espeto, à coca cola, à cerveja ou ao sumo, porque tal como deve ser, os consumos eram pagos previamente - eu próprio fiz as honras a uma bifana bem servida e a um copito de cerveja, que admito me tenham sido vendidos ao preço de custo ou muito próximo disso. Nem talvez, apesar de interessante, pela qualidade da animação que ia acontecendo em cima do palco. Talvez o mais certo é que tenha sido um pouco por causa disso tudo e também pela presença do líder da Distrital José Luis Carneiro e do líder da Concelhia e futuro candidato a presidente de Câmara, para além de outras figuras da estrutura partidária.


E apesar de no que se refere ao contexto nacional, o crédito dos Partidos ter descido abaixo de zero no meu barómetro pessoal, a nível local e pelas ideias expressas necessariamente de forma breve nos discursos, acho que ainda existe margem para consensos e sobretudo, que existe substracto para os suportar.


E escrevo isto, sem nenhum intuito de publicidade encapotada, nem ninguém me meteu na mão nenhuma ficha para me inscrever no PS, mas hoje pode-se dizer que tive uma agradável surpresa ao constatar a diferença em relação a algumas práticas de outros Partidos - e porque não dizê-lo, do próprio PS - num passado não muito distante.

 

publicado às 21:08

REPOSICIONAMENTOS TÁCTICOS...

Agora já é seguro: Seguro acaba de receber a desvinculação do Dr. Afoso Lobão de militante do PS.

Não gosto de 'meter a foice em seara alheia', mas deixar um Partido onde já foi 'Grande' só porque nas voltas da vida perdeu uma batalha eleitoral a nível concelhio?  Sinceramente, parece-me pouco...

E olhe que falando em processos menos transparentes, ainda me está 'a dever' - a dever, porque foi o Dr. Afonso Lobão que me disse que um dia ainda me falaria sobre isso, a propósito do que então escrevi no meu blogue - a 'tal' explicação sobre algumas insólitas ajudas por parte de uns quantos alfenenses - não socialistas - nos contactos pré eleitorais para a sua candidatura!

E por aqui me fico, que cada um tem o direito de escolher a forma que mais lhe convenha para a sua intervenção política - ou até, de não escolher nenhuma e 'calçar simplesmente as pantufas'.

 

Notícia do JN de Hoje

publicado às 12:36

CÂMARA DE VALONGO PRECISA DE OPOSIÇÃO POLIFÓNICA...

Não sou da 'família' e por isso quero começar já por deixar claro que não pretendo 'meter a foice em seara alheia'.

Mas também não sou hipócrita ao ponto de me limitar àquela frase de circunstância género 'que ganhe o melhor', porque entre duas hipóteses possíveis havia um candidato com ideias e projectos bem definidos enquanto outro precisou de ser ajudado por 'gente estranha e pouco recomendável' para uns contactos de última hora - pelo menos aqui por Alfena

(Foi o que muitos viram e me transmitiram e de que aqui dei conta, sem deixar de colocar este Blog à disposição para um desmentido formal).

Tal nunca veio a acontecer e talvez faça pois sentido invocar aqui a sabedoria popular que costuma dizer que 'quem cala consente'...

Fiquei-me pela notícia, optando no entanto por não tomar partido, já que deixei de o ter (ao Partido) há muitos anos atrás e não era este.

Mas porque gosto de vitórias claras ainda que não me digam directamente respeito, não pude deixar de dar os parabéns ao incontestado vencedor o Dr. José Manuel Ribeiro que hoje venceu de forma claríssima a votação para a eleição da comissão política concelhia do PS - era a ele que me referia atrás, quando falava em projectos e ideias claras.

Mais do que nunca, o Município de Valongo vai precisar de uma oposição mais abrangente e sobretudo com características polifónicas - as colunas à  direita e à esquerda do núcleo do poder, com som bem audível - e não como até aqui, em que um dos lados tem estado sem 'emitir' - refiro-me evidentemente ao palco da Câmara.

Penso que hoje o PS deu um passo nesse sentido, o que é bom - julgo eu.

 

publicado às 21:56

PS VALONGO - ESTE BLOG TEM UM ESPAÇO RESERVADO AO DR. AFONSO LOBÃO...

Após ter publicado este post, recebi da parte do Dr. Afonso Lobão, vereador do Partido Socialista de Valongo - por quem nutro aliás, o máximo respeito como pessoa e costumo cumprimentar quase todas as vezes em que há reunião de Câmara e ele está presente - o comentário que se segue:

 

"Caro Celestino,


Quero que respeite o meu bom nome.
Os meus actos falam por mim.
Não pode, numa apreciação que é parcial, por em causa a minha honestidade e honorabilidade.
Aceito criticas serias, NÃO A CHAFURDICE ONDE ME QUER METER.
Porque suspeito de quem lhe "soprou" tais CALUNIAS, estou disponível para o esclarecer."

Os meus cumprimentos
Afonso Lobão


Para ser inteiramente verdadeiro, não gostei do conteúdo do mesmo, porque quando escrevi o post da polémica nunca pretendi pôr em causa a sua honestidade e honorabilidade - isso são apreciações de tipo pessoal e de carácter, que eu nunca faço - nem ser parcial na minha apreciação.

Quanto ao tipo de críticas que lhe fiz, são obviamente (apenas) de cariz político e eu é que não aceito que à partida as catalogue como 'não sérias' nem sequer posso admitir sem reagir, que me acuse de ter como objectivo uma qualquer 'CHAFURDICE EM QUE O QUEIRA METER' - as MAIÚSCULAS são suas...

Recebi informação de várias fontes, que me davam conta de listas com nomes de militantes socialistas a serem 'manuseadas' por gente 'muito mal coceituada' no meio e que não tem nada a ver com o Partido Socialista.

Achei estranho, e dei conta da minha estranheza. Tão simples como isso e nada mais que isso!

No entanto o Dr. Afonso fez questão de me acusar de aceitar que alguém me tenha 'soprado' tais CALÚNIAS - MAIÚSCULAS novamente suas...

Admitindo que pudesse ter razão e que se tratasse disso apenas, o que se teria justificado então, seria utilizar este espaço que coloquei à sua disposição para um desmentido.

Mas se eventualmente não quiser contribuir para a 'inflacção' do meu contador de visitas, havia tantas outras formas de já o poder ter feito, que a demora só avoluma a dúvida!

Não sou de 'meter foice em seara alheia', mas se pertencesse a um qualquer partido político e tomasse conhecimento de que o meu nome, de amigos meus ou de familiares, andavam por aí, fazendo parte de uma qualquer lista, a circular em mãos estranhas e 'pouco limpas' que nada tivessem a ver com o mesmo, ficaria muito zangado, garanto-lhe que ficaria!

Mas tal como nos tribunais, também aqui se aplica o princípio 'In dubio pro reo'.

Renovo por isso o desafio:

O seu desmentido - se achar importante fazê-lo - será aqui publicado na íntegra logo que (e se) manifestar interesse nisso.

Até lá, só posso manter - como 'provávelmente verdadeiras' - as tais 'calúnias' de que fala.

 

 


publicado às 19:07

PS-VALONGO EM GREVE - DE QUÊ MESMO?

RECORTE DO JN (MARTA NEVES) de hoje


Está finalmente esclarecido o misterioso eclipse dos 3 vereadores do Partido Socialista na Câmara de Valongo - afinal estavam em "greve", coisa que eu ingenuamente pensava ser um direito reservado apenas aos trabalhadores!

Havia já quem colocasse a hipótese de rapto, com eventual pedido de resgate - esta gente do mundo do crime não se actualiza, não acompanha as mudanças políticas que vão ocorrendo e podiam muito bem pensar que era (ainda) Sócrates o dono do baú de onde sairia o "papel" para pagar o resgate.

Porém outros, estes bem mais próximos da verdade que agora se conhece, desde início levantaram a hipótese de os três terem apenas tropeçado na inconveniente notícia de uma candidatura inconveniente - para eles, obviamente...

Certamente que os valonguenses - muitos dos quais, seguramente nem militantes do PS são - quando lhes deram o seu voto para serem representados na Câmara e ao mesmo tempo impedirem Fernando Melo de continuar a fazer o que muito bem lhe apetecia, vão saber tirar consequências políticas deste acto indesculpável!

Se pretendiam (apenas) espatifar o 'canteiro da rosa' ou mostrar um cartão amarelo a alguém, deveriam ter escolhido outra forma mais responsável para o fazer, que não esta!

Na quinta feira, o seu voto não foi respeitado e graças a isso - felizmente sem consequências - Fernando Melo teve direito ao seu momento de glória: uma reunião com a maioria absoluta que o Povo não quis que tivesse. 

publicado às 22:02

A CADEIRA VAZIA...

Para quem teve hoje (alguma) paciência para seguir de relance o início dos procedimentos relativos à leitura sentença do chamado Processo Casa Pia, ficou mais ou menos claro que esta "sentença", mais não é do que o primeiro degrau da escada que se segue e que os arguidos não vão de forma alguma prescindir de subir.

Aliás, lendo nas entrelinhas de algumas declarações dos mesmos ou dos respectivos defensores, a fase que hoje terá início, é mais um lanço dos muitos outros que a escada inevitavelmente terá - até à prescrição final...

É que ninguém já tem dúvidas de que a maioria dos arguidos tem patrocinadores com fôlego financeiro suficiente para esticar a corda até ao último milímetro do se alcance possível e "quem tem amigos não morre na cadeia" - sobretudo se esses amigos, seguramente poderosos e bem colocados, tiverem tudo a perder se deixarem de ser amigos!

Apesar de tudo, o dia de hoje tinha de ser vivido e é preferível que a ignomínia que significará a fuga ao cumprimento de qualquer pena pelos crimes cometidos, seja adiada para a próxima instância.

Portanto, pode-se concluir que no meio da raiva geral e da repulsa que o cidadão comum hoje não consegue deixar de exteriorizar, as expectativas são baixíssimas relativamente à Justiça final, sendo que a raiva aumenta quando através das reportagens conseguimos ver no lote dos criminosos, uma cadeira vazia que nos entra pelos olhos dentro!

Apesar dos tais amigos poderosos que todos têm e de que já falamos, o dono da cadeira vazia tinha-os mais poderosos que os seus "pares".

Hoje tem razão para repetir os festejos que fez quando foi libertado da prisão preventiva - ou talvez não, que o risco de algum dos "condenados" poder perder as estribeiras e "botar a boca no trombone" não pode ser totalmente descartado...


PS: Porque às vezes é bom relembrar o que já escrevemos sobre o assunto, aqui vai um recorte de um post que publiquei em 16 de Maio de 2009:

"Recebi hoje um comentário de blogueoliveiramartins a um dos meus post - As "ASPAS" DA DEMOCRACIA - publicado aqui e também aqui.

Ora bem... vamos lá esclarecer algumas dúvidas:

Eu critico - às vezes apetece-me mesmo zurzir - esta "democracia" que aceita ser controlada por "democratas" como Sócrates, Jaime Gama, Paulo Pedroso, Ferro Rodrigues e outros, que por cá andam, já andaram, ou pensam ainda andar e que deixam sempre atrás de si um odor tão intenso de "Freeport", "Cova da Beira" "Pedofilia" que os topamos à distância! (Antes que me esqueça, quero aqui deixar bem destacado o necessário "Disclaimer": não os acuso de nada porque não tenho provas que me permitam fazê-lo e mesmo que acusasse, seriam sempre inocentes até prova em contrário, com a respectiva condenação e trânsito em julgado, blá, blá, blá...)"

publicado às 13:57

A CÂMARA DE VALONGO E O "BLOCO CENTRAL"

Terminou tarde - cerca da uma da manhã (há bocadinho portanto) - a Assembleia Municipal de Valongo. A Democracia não é compatível com pressas exageradas...

Claro que, independentemente da importância relativa de todos os outros pontos da Ordem do dia, o "prato principal" era, como é óbvio, o Orçamento para 2010.

Apesar das baixas expectativas - adivinhava-se, a exemplo daquilo que aconteceu na Câmara, que o Dr. Fernando Melo iria contar mais uma vez com as "ajudas técnicas" (vulgo muletas) do Grupo Municipal do PS -  a sala estava bem recheada de "testemunhas" para assistirem à vergonha em que se traduziu essa votação.

Perante a intervenção "arrasadora" do Deputado nacional/municipal José Manuel Ribeiro em relação à gestão de Fernando Melo e face às críticas inflamadas e vibrantes ao documento em discussão e à sua falta de credibilidade, quem andasse menos atento a estas questões dos "jogos de bastidores" podia ser levado a pensar: "boa! desta vez o PS vai emendar a mão e votar contra!".

Aliás, algumas "almas" mais ingénuas, ao constatarem a ausência do Vereador Dr. Afonso Lobão - um dos estrategas da abstenção do PS na votação do documento na Câmara - começaram a "adivinhar" uma posição do PS mais coerente com os seus princípios...

Enganaram-se! Não completamente, porque apesar de tudo, houve um Deputado do Grupo que abandonou a sala antes da votação, mas quase.

Em Julho, cumprido o primeiro semestre deste Orçamento a fingir, está decidido proceder a uma "avaliação de desempenho" dos estrategas desta monumental mistificação. Esperemos para ver com que cara é que o PS vai justificar o voto de confiança que agora - com a sua abstenção - lhe deu.

E não adianta dizer, como aliás já o fez a "jovem promessa" de Valongo, que outros socialistas já fizeram o mesmo no passado (abstendo-se em idêntica votação) porque o significado prático desse voto num contexto maioritário do Executivo de então e o de agora, em que a oposição tem maioria, é tão diferente, que explicá-lo se tornaria ridículo da minha parte.

O resto da oposição (mais o Deputado do PS que abandonou a sala) continuarão de mãos limpas e cara levantada. Já os restantes "opositores"...

publicado às 01:24

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D