Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

VALONGO E ALFENA - 'MANHAS E CASAS VELHAS'...

Captura de ecrã 2015-03-23, às 20.05.45.png

Queremos saber como são utilizados e com que fins, os nossos equipamentos colectivos!

 

A Câmara de Valongo custeou a quase totalidade das despesas - ao abrigo dos mais elementares princípios da transparência gostaríamos de as ver publicamente detalhadas (por exemplo, no Boletim Municipal - da recuperação do antigo Jardim de Infância de Cabêda, para aí instalar a Plataforma Solidária de Alfena protocolada entre a própria Câmara, a Junta e a AVA.

Constam do referido protocolo os pontos seguintes:

Captura de ecrã 2015-03-23, às 18.29.31.png

 

Como é sabido, o terceiro outorgante (a AVA) viu-se forçado a abandonar o local em consequência do boicote sistemático que era feito pelo segundo outorgante (Junta de Freguesia) ao desenvolvimento das suas actividades, ficando o espaço a ser gerido apenas pela Junta e nos moldes a que Arnaldo Soares nos habituou há muito e que me dispenso de especificar.

 

- Fica por saber em que moldes é que os custos de gestão são partilhados.

- E no que toca ao ponto 6 - "funcionamento da Academia Sénior/Escola Sénior em moldes a definir posteriormente" - fica também por saber em que pé está essa definição.

 

É claro que a 'vox populi' vai comentando alguns intrigantes apontamentos relativos à gestão clientelar implementada pelo edil local e pelo seu grupo de colaboradores mais próximos e por isso mesmo, seria importante que a Câmara, a quem pertence o equipamento e a quem se deve a sua recuperação, se pronunciasse com urgência sobre o assunto.

Requeri há já quase um mês uma informação nesse sentido mas parece que aqui a Lei é letra morta, prevalecendo o estranho princípio de que os eleitos só precisam de prestar contas da sua gestão e dos seus actos a quem muito bem entendam e de preferência a quem não se atreva a pô-los em causa!

 

Chegou ao meu conhecimento que a técnica superior de Serviço Social que ali presta serviço - a Dr.ª Vera - que era paga ao abrigo de um protocolo entre a Junta (600 €) e a AVA (400€), passou a trabalhar depois das eleições apenas para a Junta, que lhe paga 1.500€ com a promessa de abrir um concurso para um lugar de técnica superior.

 

Resta saber duas coisas:

 

- Como justifica a Junta o pagamento dos tais 1.500 €?

(Consta-se que apesar da ruptura com a Junta, a AVA mesmo assim e para não prejudicar a referida técnica, aceitou receber a transferência da importância ao abrigo do protocolo anterior e pagar depois à mesma!).

- Estará o referido procedimento concursal de acordo com a Lei?

 

Até  que tudo se esclareça - ou não... - a técnica do Serviço Social vai organizando visitas a discotecas e idas em low cost a Lisboa, para ir mantendo e alimentando fidelidades eleitorais por parte dos menos jovens.

O custo inicialmente previsto com a tal viagem a Lisboa era de 29,90€ por bilhete mas a Dr.ª Vera  só conseguiu alguns lugares.

Dada a 'visibilidade' que o financiamento desta viagem através da 'feijoada solidária' ganhou, criou-se aqui um problema difícil de solucionar.

Conseguidos mais uns quantos lugares a 49,90€, mesmo assim insuficientes, os últimos já custaram 79,90€.

Como tinha sido acordado com as cerca de 40 pessoas interessadas o preço mais baixo atrás referido, a 'vox populi' vai comentando que a animação da festa em honra de S. Lázaro que ontem teve lugar, contou com 'serviço de esplanada' assegurado pela Junta - o Salão de Chá encontra-se encerrado e em processo concursal para futura concessão -  destinando-se o lucro apurado a custear o acréscimo do custo dos tais bilhetes low cost.

 

Seria interessante saber:

 

- Se as regras de higiene e salubridade na manipulação de alimentos que um espaço público como o Salão de Chá exige terão sido cumpridas.

(O que vale é que nós somos um Povo de brandos costumes caso contrário  o assunto já seria do conhecimento da ASAE)...

- Não terão as Finanças nada a ver com o facto de as receitas geradas não terem sido sujeitas ao respectivo imposto?

(Presumo que a registadora não estivesse a funcionar, até porque a Junta não está habilitada a facturar comes e bebes...).

 

 

Como se pode ver e apesar desta gestão manhosa dos negócios locais, o presidente da Câmara que é 'tão bom' como o presidente da Freguesia, não se sente constrangido e sempre que o convidam ele aparece - como fez no caso da 'feijoada solidária' e não sei se ontem também...

 

publicado às 17:41

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D