Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

VALONGO MERECE MELHOR!

00_brasao_oficial_dr2007-3.jpg

 

Ontem - com prolongamento até quase às 2 e meia da madrugada de hoje - teve lugar mais uma sessão da Assembleia Municipal de Valongo.

 

Como disse a certa altura um dos meus pares, que no dia 25 de Abril e no mesmo local fez um apelo aos cidadãos para que se interessem mais pela vida do seu Município e participem nestas Assembleias, "ainda bem que hoje eles não corresponderam o meu apelo, porque o que aqui se está a passar é uma vergonha".

 

E foi...

 

Muita conversa estéril, omissão da maioria da Mesa e do presidente do Órgão deliberativo e fiscalizador do executivo no lamentável proteccionismo que dão ao presidente da Câmara, nomeadamente nas dificuldades que este coloca a quem o interpela ou contesta, permitindo-lhe que sistematicamente continue a desrespeitar os deputados, negando-lhes informação relevante ou protelando simplesmente as respostas a pedidos concretos com a alegação de que "a informação que tenho dos Serviços é que isso já foi respondido. Se calhar temos que gastar mais algum dinheiro e enviar por correio registado com aviso de recepção"...

Como se os deputados fossem uns mentirosos e estivessem sempre de má-fé ao dizerem que a informação não lhes é prestada!

 

Destaques:

 

Take 1:

(Antes da Ordem do Dia)

Sobre o tratamento discriminatório de que sou alvo por parte do presidente da AMV - alegadamente mas nunca comprovado, com o apoio da comissão de representantes - apresentei um recurso/requerimento para a Assembleia para ratificar a sua decisão de me negar o direito, como deputado independente, de me equiparar aos representantes únicos do Bloco de Esquerda, do CDS e dos Unidos por Alfena (e presidente de Junta) intervir nas sessões solenes do 25 de Abril ou equiparadas.

 

O requerimento:

Captura de ecrã 2016-04-28, às 13.53.22.pngInvocar o Regimento para formular uma reclamação e apresentar um requerimento

(Nos ternos do art.º 31.º - d) e)

 

Tendo em conta:

  1. Que o Regimento é omisso relativamente à figura “Sessão Solene da Assembleia Municipal”;
  2. Que o Senhor Presidente deliberou impedir o uso da palavra por parte do deputado independente Celestino Neves na sessão solene comemorativa dos 42 anos de 25 de Abril;
  3. Que o Senhor Presidente alegou, na justificação que me apresentou pessoalmente para ter tomado essa decisão, ter acompanhado a posição dos membros da comissão de representantes;
  4. Que a referida comissão é, nos termos do Regimento, apenas um órgão de consulta do Presidente;

Requeiro que seja submetida à Assembleia a ratificação da decisão do Senhor Presidente atrás mencionada, ou seja, a de considerar que o deputado independente não tem direito ao uso da palavra neste tipo de cerimónias ou outras equivalentes."

__________________________

Aqui começou a manifestar-se a lamentável interferência da 'facção' José Manuel Ribeiro no PS - parte da Mesa e de uma parte do grupo municipal - colocando dúvidas e inviabilizando mesmo o consenso informal já obtido com o requerente no decurso de uma interrupção dos trabalhos pedida pelo grupo para construir a sua posição. 

Para cortar o mal pela raiz dei uma espécie de 'murro na mesa' - afinal só teremos 25 de Abril daqui a um ano - e retirei o requerimento com a garantia de que o assunto seja presente à próxima Reunião de líderes.

Espero que nessa altura os representantes do PS, do PSD (cujo vereador João Paulo Baltazar se manifestou já publicamente contra esta discriminação) e também da CDU e do Bloco que ontem a criticaram igualmente, consigam convencer o Dr. Vilas Boas de que nestas sessões solenes não faz qualquer sentido a cobertura que tem dado à perseguição que é movida pelo presidente da Câmara ao deputado independente.

 

Take 2:

(Relatórios de contas do Município e da empresa municipal Vallis Habita)

 

Independentemente das referidas contas - seguramente certificadas pelos respectivos Revisores - não oferecerem dúvidas acerca da sua correcta apresentação, a verdade é que não são complementadas por relatórios sobre o acompanhamento e as auditorias previstas no âmbito do Plano de Gestão de Riscos de Corrupção e Infracções Conexas aprovado pela Câmara em Dezembro de 2009,  que - pelos vistos - tem sido mantido na gaveta.

 

O Plano

 

https://drive.google.com/open?id=0B0UMnTdZazNUclpFUFZzcC16QUU

 

Demonstrando um lamentável desconhecimento relativamente ao assunto, o presidente da Câmara alegou que o Plano não passaria de uma recomendação e que não estaria em vigor...

Por estas e por outras é que se percebe melhor porque é que o paradigma da CORRUPÇÃO em Valongo não tem sofrido grandes oscilações ao longo dos últimos anos...

 

Apresentei o requerimento que se segue, no sentido de que os pontos relativos às Contas fossem retirados até serem completados com as respectivas avaliações no âmbito do Plano acima referido.

 

O requerimento:

 

Captura de ecrã 2016-04-28, às 13.53.22.png(Sobre os pontos 2.4 e 2.5 da Ordem de Trabalhos)

 

Tendo em conta:

  1. A Recomendação 1/2009 do Conselho da Prevenção da Corrupção;
  2. O Plano de Gestão de Riscos de Corrupção e Infracções Conexas aprovado em Dezembro de 2009 dando seguimento à referida Recomendação, que determina a elaboração de “relatórios anuais relativos à monitorização das medidas propostas (...)”, bem com efectuar anualmente uma “auditoria externa a cada departamento”;
  3. Que em anexo aos documentos 2.4 e 2.5 acima referidos não consta qualquer trabalho de avaliação no âmbito do referido Plano;

Requeiro que os pontos 2.4 e 2.5 sejam retirados da Ordem de Trabalhos a fim de serem devidamente consolidados com relatórios sobre o trabalho desenvolvido, conforme determina o Plano atrás referido.

 

Como eu já previa - as contas já tinha passado na Câmara e ninguém se tinha lembrado do Plano contra a corrupção - o meu requerimento teve o voto favorável apenas de... mim próprio!

 

Na votação dos documentos em causa, votei contra - aqui já não isolado - e presentei a seguinte 'declaração de voto':

 

Captura de ecrã 2016-04-28, às 13.53.22.pngDeclaração de voto de vencido (Art.º 39.º - 3 e 3 do Regimento)

 

Voto contra os Relatórios de Prestação de Contas da Câmara e da empresa municipal Vallis Habita relativos ao ano de 2015 (pontos 2.4 e 2.5 de Ordem de Trabalhos) pelas seguintes e principais razões:

  • Porque os documentos tecnicamente bem estruturados, mantêm as habituais abstracções relativamente à forma de gerir a coisa pública no nosso Município e permitem que sobre as regras de transparência que devem presidir à mesma se possa pensar tudo e o seu contrário;
  • Porque não são acompanhados de nenhuma informação relativamente às acções desenvolvidas no âmbito do ‘Plano de Gestão de Riscos de Corrupção e Infracções Conexas’ aprovado em 28 de Dezembro de 2009 nem incorporam nenhuma das determinações constantes do seu articulado.

________________________________

Take 3:

 

Na parte final da sessão e no período de respostas às perguntas dos deputados formuladas no período inicial, o presidente da Câmara voltou a enveredar pela conversa redonda do costume fugindo (quase) sempre a dar respostas claras:

 

- Perguntei-lhe sobre a construção de passeios em Alfena - nomeadamente na Rua 1.º de Maio (Nacional 105) e cujo arranque já foi anunciado há bastante tempo.

 

Resposta: "Não estou em condições de lhe responder"

 

- Perguntei-lhe qual é o perfil previsto para a beneficiação da Rua Senhora do Amparo - se vai ter passeios, se vão ser colocadas passadeiras e outros apoios, nomeadamente soluções limitadoras de velocidade, semáforos, etc..

 

Resposta: "Vai ficar um arranjo óptimo e será cumprido o que está no contrato de urbanização celebrado com a JerónimoMartins".

- Passeios ou não? - questionei eu uma vez mais.

 

Resposta:

Nem não nem sim, nem sequer 'nim...

 

- Perguntei-lhe sobre a 'maturidade' processual do lamentável caso relacionado com uma moradia na Rua do Viveiro em Alfena - se já foram recebidas respostas aos pareceres pedidos pela Câmara  à IGF, por exemplo.

 

Resposta:

Nem não nem sim, nem sequer 'nim', mais uma vez...

 

E assim vai o 'burgo' - infelizmente...

 

 

 

publicado às 13:31

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D