Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

VALONGO, NO LIMITE... SEM LIMITES!

Captura de ecrã 2018-10-18, às 09.55.42.png

 

"Valongo, um território a descobrir"...

 

Uma simples frase-feita que, na realidade concreta e definida deste "subúrbio" da Mui Nobre e Invicta Cidade do Porto, pode assumir um significado improvável...

 

(E bem podem barafustar os "patriotas locais" contra a minha falta de 'patriotismo', que assumo por inteiro o termo "subúrbio", embora me sinta no dever de explicar melhor a sua utilização).

 

Temos inúmeras belezas naturais, umas visíveis outras escondidas, umas melhor ou pior aproveitadas ou preservadas, outras simplesmente esquecidas ou abandonadas - ou até mesmo votadas a uma quase criminosa e paulatina destruição.

Quem conhece minimamente o nosso território - e eu conheço-o relativamente bem, apesar de só por aqui andar há cerca de 40 anos e continuar a ter saudades do meu Santo Tirso do coração - sabe que não especulo com estas coisas.

 

(Até naquilo que vai recuperando e valorizando, Valongo tem, perece, vergonha de assumir e prefere dar-lhe 'apelidos' alheios. Veja-se o caso das "Serras do Porto").

 

Valongo tem História?

 

Tem, evidentemente! Todas as terras a têm, mas em Valongo e graças sobretudo ao empenho do actual soberano absoluto que nos governa desde 2013, um entusiasta da governação 'socratista' e da arte de cavalgar a toda a sela esse 'fenómeno extremo' que alguns teimam em apelidar de "corrupção", graças a ele, a nossa História resume-se a declarações vazias ou historicamente inconsistentes com uma ou outra publicação encomendada a historiadores de sofá que por aí abundam e são clientes habituais da mesa do orçamento na organização dos eventos tão ao gosto apurado de sua majestade o rei...

Foi o caso do livro cuja imagem ilustra o topo do texto e que é uma verdadeira vergonha!

 

Mas não era sobre esta "história" que eu hoje queria falar...

 

A História de Valongo tem sido ao longo dos (pelo menos) últimos 40 anos, infelizmente, mais feita de corrupção, gestão danosa - das finanças e do bem público - de favorecimento ilícito, de destruição da (verdadeira) História e, sobretudo, da paulatina e lamentável construção de um verdadeiro e acomodado subúrbio do Porto.

 

Se procura um 'dormitório' de fácil acesso - para um período mais ou menos longo ou apenas para uma noite, com 'aquecimento de pés' do tipo familiar ou em regime de 'pago à hora', com massagens tailandesas ou lusitanas, com entrada pelo 'lobby' ou pela garagem, Valongo tem.

 

Se procura um terreno disponível para instalar o seu negócio e aproveitar as relativamente boas condições de acessibilidade, não se assuste com o facto de a sua pretensão lhe parecer colidir com uma qualquer zona condicionada ou de reserva (agrícola ou ecológica), Valongo tem.

Tem e consegue dar a volta a todos os obstáculos que se oponham à sua ambição.

 

Veja o exemplo do que foi feito na naquela imensa área da Senhora do Amparo onde se implantou a plataforma logística da Jerónimo Martins e onde tudo continua a mexer - cremos até que já muito para além do inicial perímetro da Unidade Operativa de Planeamento e Gestão - UOPG 06.

 

Em Valongo o limite não é a Lei - as Leis são sempre muito incómodas para quem busca um enriquecimento sem grandes preocupações, sejam elas de ordem social ou de ordem ambiental.

 

Em Valongo o limite é determinado (quase sempre) pela ambição de quem investe e de quem governa para 'certos tipos' de investimento. 

 

Em Valongo o 'limite', no limite, pode mesmo não ter limites!

 

Mas como neste tipo de dissertações sobre o 'fenómeno da corrupção e do favorecimento ilícito' que, digam o que disserem, permanece umbilicalmente ligado à actual dinastia reinante do "subúrbio" corre o risco de se eternizar, voltarei em breve para mais e mais detalhados desenvolvimentos...

 

Portanto, o habitual (CONTINUA)...

________________________

 

PS: Amanhã, integrarei uma (nova) embaixada que se deslocará ao Ministério Público (DIAP) de Valongo para uma (nova) denúncia sobre gestão danosa e favorecimento ilícito na área do Urbanismo... 

 

 

 

 

 

 

 

publicado às 09:28

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D