Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

VALONGO - PRIMEIRO DIA DA FALTA DE DESCULPAS...

(VALONGO DO NOSSO DESCONTENTAMENTO)...

 

Captura de ecrã 2017-10-12, às 15.03.38.png

 

(Primeiro dia da falta de desculpas com base nos habituais "deixem-nos trabalhar", ou "maiorias de bloqueio", ou seja, primeiro dia da maioria absoluta que permitirá fazer tudo o que os Orçamentos e a Lei comportem...).

 

Vi ontem no directo colocado nas redes sociais pelos organizadores, partes do acto solene da tomada de posse de todos os eleitos.

Achei alguma graça ao habitual glamour deste tipo de cerimónias, onde pontuaram os fatinhos e as gravatas de circunstância, a (mais que visível) criatividade dos profissionais cabeleireiros/maquilhadores e afins e apenas levemente amenizada por algumas pinceladas de rebeldia de uns poucos empossados que não abdicaram dos habituais jeans, da camisa por fora ou dos ténis ou mocassins dos dias normais dos cidadãos comuns.

Solidarizo-me com eles e incentivo-os a manterem-se normais, sendo que 'normal' também pode ser o fatinho e a gravata desde que habituais!

 

A partir das imagens fui construindo mentalmente a inevitável paleta de cores da futura governação valonguense e perante o enorme desiquilíbrio das forças em presença, apeteceu-me dizer - acho que cheguei mesmo a dizer para mim próprio - Bem feito!

 

Bem feito para a injustamente apelidada "maioria de bloqueio" que como eu sempre disse mas ninguém quis ouvir, nunca bloqueou nada - pelo menos, nada do que devesse ter sido bloqueado!

 

Aguns exemplos:

 

- Na comissão de representantes, um órgão de consulta do presidente da Assembleia Municipal e porque como todos sabemos os partidos ainda não se habituaram a conviver com a figura dos independentes, os ditos representantes sempre aceitaram de forma alinhada a marginalização e a perseguição que o poder me moveu a partir da minha ruptura com o grupo municipal do PS;

- Nunca tiveram uma palavra crítica relativamente à inexistência de um verdadeiro presidente do Órgão deliberativo;

- Nunca se pronunciaram relativamente aos facto desse mesmo presidente se ter envolvido ao lado do presidente da Câmara num processo jurídico monstruoso e persecutório contra um deputado municipal;

- Alinhando com o poder que não sendo absoluto sempre se comportou como se o fosse, permitiram que o único deputado independente fosse impedido de participar nas reuniões de representantes - as mesmas em que participam por inerência os presidentes de Junta, um dos quais é também ele independente! - aceitando ainda com total passividade que eu não pudesse sequer falar nas sessões solenes comemorativas de 25 de Abril!

 

- Permitiram que, de forma deliberada e defensiva, a sessão ordinária da Assembleia Municipal que se deveria ter realizado em Setembro não tivesse ocorrido, contribuindo assim para que o executivo se resguardasse em tempo de campanha eleitoral relativamente a três itens quentes que seguramente seriam abordados, a saber:

 

1. Moção de censura ao presidente da Câmara pela inexistência de um 'Plano Municipal de Defesa da Floresta contra Incêndios devidamente actualizado;

2. Crítica à inoperância da Comissão de defesa da Floresta presidida pelo deputado do Bloco de Esquerda Nuno Monteiro e que não apresentou um único trabalho ao longo de todo o mandato - nem sequer o famoso relatório prometido para esta sessão;

3. Referências incómodas ao acórdão do Tribunal da Relação do Porto que me absolveu;

 

Portanto número um...

 

Tirando uma ou outra pincelada discordante mas meramente opinativa, a oposição (quase) nada fez para merecer essa classificação - oposição.

 

(Não fora o comportamento digno e prestigiador para as cores que defende - verdadeira excepção a confirmar a lamentável regra - do vereador da CDU, Adriano Ribeiro que desde o início soube manter uma verticalidade digna de registo relativamente a assuntos sobre os quais o PSD nunca poderia enveredar por divergências fracturantes e certas reuniões de Câmara teriam sido (ainda) mais monótonas.

 

Portanto número dois...

 

Bem feito para todos os que não vestindo 'rosa velho' ficarão agora ainda mais nos bastidores da esmagadora maioria absoluta que ajudaram a construir!

 

Bem feito por ficarem (ainda) mais reduzidos à vossa lamentável expressão mais simples no que toca à  representatividade dos cidadãos!

 

Valongo dirá seguramente MUITO nos próximos anos  - por boas ou más razões - sobre a governação socialista iniciada em 2013.

Seguramente não dirá NADA sobre o trabalho da oposição inócua que lhe tem calhado na rifa!

 

publicado às 11:56

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D